Portugal é o segundo país do mundo a estrear novo conceito de aquabiking

Empresa do Porto importa inovador sistema que permite pedalar em cabines individuais

Portugal é o segundo país a nível mundial a criar centros de aquabiking (atividade desportiva que consiste em pedalar dentro de água geralmente em piscinas aquecidas) em instituto.

O conceito surgiu em França, onde já existem perto de cinquenta centros, dois deles pertencentes a um português, Rui Teixeira, um dos três sócios fundadores da Biklas D'Água.

A empresa do Porto adquiriu o exclusivo nacional de um novo equipamento denominado Waterbike, uma marca registada que assenta na filosofia do aquabiking, concebido para a reabilitação médica em ambiente hospitalar mas que acrescenta algumas funcionalidades ao nível da saúde (melhoria do sistema cardiovascular e muscular) e do bem-estar (cromoterapia, musicoterapia, drenagem linfática, redução da celulite e efeito micro peeling).

Em Portugal, o primeiro centro Waterbike foi criado no início deste ano, no Porto, pelos três empresários fundadores da empresa, António José Lopes, Vítor Machado e Rui Teixeira, que o denominam de «loja showroom», uma vez que o intuito da empresa é não só criar novos centros mas, sobretudo, apostar no franchising e na comercialização dos equipamentos.

As cabines individuais agora trazidas para Portugal são constituídas por 16 jatos de hidromassagem que, através da sua ação, favorecem o reforço muscular e cardiovascular, a reeducação funcional e a diminuição da retenção de líquidos e sensação de pernas pesadas. Uma sessão de 30 minutos permite perder cerca de 500 calorias sem esforço, asseguram os promotores do projecto.

Até ao final de 2013, apesar da crise, a Biklas D'Água pretende abrir quatro novos centros noutras zonas do país. Além de Lisboa, Braga, Coimbra e Faro são as cidades privilegiadas no plano de expansão nacional da empresa.

23 de março de 2013

artigo do parceiro:

Comentários