PE quer mais mulheres na direção das empresas

Apenas 10% são diretoras e 3% pertencem aos conselhos de administração das grandes empresas europeias

O Parlamento Europeu solicitou a adoção de medidas legislativas europeias para a introdução de quotas femininas nas empresas, tendo em vista aumentar a representação de mulheres nos conselhos de administração.

Esta é uma das principais propostas do relatório sobre "As Mulheres e a Liderança Empresarial" aprovado pelo Parlamento Europeu (PE). O texto incita a Comissão Europeia a propor leis que "incluam quotas para 2012, de forma a aumentar a representação das mulheres nos órgãos de administração das empresas em 30% até 2015 e em 40% até 2020".

Para tal, a Comissão deve ter em conta as particularidades económicas, estruturais (dimensão das empresas), jurídicas e regionais dos Estados-membros.

Refira-se que atualmente, apenas 10% das mulheres são directoras e 3% pertencem aos conselhos de administração das grandes empresas europeias.

Оs eurodeputados sublinham as iniciativas de Estados-membros como a França, Holanda e Espanha, que fixaram uma percentagem mínima de representação das mulheres na administração das empresas.

O relatório insiste na necessidade de ser apresentado um plano estratégico com objectivos "específicos, mensuráveis e exequíveis para se alcançar uma representação equilibrada nas empresas de todas as dimensões e solicita à Comissão que elabore um guia específico para as pequenas e médias empresas", alertando ao mesmo tempo para a diferença dos salários entre homens e mulheres.

8 de julho de 2011

artigo do parceiro: Nilza Rodrigues

Comentários