O coach motivacional que encontrou o divino num retiro na selva

Começou por ser estafeta mas, depois, trocou o emprego numa multinacional por uma nova forma de vida. «O nosso maior medo é descobrir quem somos», assegura Mário Caetano.

Em 2012, viveu uma experiência inesquecível num cenário de rara beleza. «Fiz um retiro na selva amazónica no norte do Peru, que mudou a minha autenticidade, o meu mindset», revela o coach Mário Caetano. «Foi uma conexão com o divino inexplicável», assegura ainda. Aprender com o passado, com os erros e com os medos é a ferramenta essencial para uma mudança consciente e é isso que procura fazer com «Wake Up».

Foi com este evento motivacional que subiu ao palco do Coliseu dos Recreios, em Lisboa, em meados de fevereiro de 2017, para ajudar os participantes a encontrarem desafios e a concretizarem os seus sonhos. «Existe um milagre chamado vida que vale a pena viver. Não sabemos quando vai terminar. Portanto, não podemos deixar os nossos sonhos para amanhã. Temos de aproveitar e usufruir deste milagre hoje e agora», diz.

Este é o lema de vida do coach Mário Caetano e o que quer transmitir a todos que o procuram para resolver bloqueios e iniciar um processo de mudança, que pode não ser fácil, mas é simples, como gosta de dizer. «Acredito que desde que nascemos podemos escolher fugir dos nossos medos, submetermo-nos a eles, avançar e atuar com valentia, mesmo sabendo que o medo está lá», realça.

Como é que o coaching entrou na sua vida?

Sempre gostei de entregar mensagens às pessoas e, curiosamente, o meu primeiro emprego quando estava na faculdade foi de estafeta, mesmo que na altura tivesse medo de andar de mota. Hoje, continuo a entregar mensagens, mas de outra forma.

Descobri o coaching em janeiro de 2006, quando estava a trabalhar numa multinacional e tive algumas sessões com um coach. Gostei tanto que passados nove meses, decidi certificar-me em live coaching e um mundo abriu-se. Em 2007, despedi-me e, em 2008, comecei a trabalhar como coach a tempo inteiro.

Quais foram as respostas que encontrou no coaching?

Em primeiro lugar, que pensamos saber muita coisa, mas na verdade não sabemos nada acerca da vida. Em segundo, deu-me a capacidade de estudar o comportamento humano para saber porque fazemos aquilo que fazemos e, em terceiro, deu-me um sentido maior para a vida.

O coaching ajudou-me a perceber que posso escolher que tipos de pensamentos quero ter, que quantidade de dinheiro quero ganhar, qual o núcleo de pessoas que me inspiram e o trabalho que quero ter. Posso escolher o que quiser e não ficar refém da multidão.

Veja na página seguinte: As escolhas que as pessoas podem fazer

Comentários