Jardins verticais, telhados e vegetais estabilizados

As novas técnicas que ameaçam transformar a paisagem

A empresa Jardins do Futuro promoveu recentemente uma palestra subordinada ao tema «Jardins Verticais, Telhados Vegetais e Vegetais Estabilizados», que reuniu em Évora alunos de arquitetura paisagista, arquitetura, design, botânica e engenharia civil, assim como professores e outros profissionais.

O objetivo foi alargar o leque de conhecimentos sobre as novas técnicas de hidroponia, bioponia e aeroponia, utilizadas em cobertura vegetal.

A cobertura vegetal permite um excelente isolamento térmico e sonoro e participa a despoluição do ar ambiente. O tipo de plantas utilizadas nas coberturas vegetais, que respeitam normas ambientais nos materiais utilizados e mostram assim as atuais vantagens do recurso a estas estruturas. Este varia consoante a orientação solar, a região e o aspeto visual pretendido, daí ser muito importante ter uma noção das plantas provenientes de cultivo hidroponico a utilizar nestes sistemas.


O sistema de rega é especifico a cobertura vegetal, utilizando uma tecnologia avançada na distribuição dos nutrientes necessários ao bom desenvolvimento das plantas. Estes nutrientes também provêm de pesquisas avançadas especificas ao cultivo hidroponico.

Em relação aos Vegetais Estabilizados, trata-se de uma nova técnica de conservação a longo prazo das plantas ornamentais, onde estas já não irão necessitar de água nem iluminação, pois estarão num estado vegetativo conservando assim a sua beleza durante vários anos.

A sua estabilização consiste em substituir a seiva da planta por uma mistura de vários produtos como a glicerina e a sacarose entre outros dando assim um aspeto vislumbrante a planta. Todas as técnicas utilizadas foram desenvolvidas para lutar contra a poluição ambiental e mudar o aspeto visual das cidades portuguesas e mundiais.

artigo do parceiro:

Comentários