Homens devem cuidar-se tal como as mulheres

Estudo realizado em Portugal revela mudança de mentalidades

Mais de 60 por cento dos inquiridos considera que os homens não devem cuidar-se menos do que as mulheres, denotando uma mudança de mentalidades nesta área.

Esta é a conclusão do “Estudo de Cosmética e Cuidado Pessoal”, realizado em Portugal pela revista "Men’s Health", que tinha por objectivo entender as alterações de atitude e comportamento dos homens em Portugal nesta matéria.

estudo conclui que 91 por cento dos participantes diz não ter qualquer tipo de pudor/ vergonha em assumir que cuida da sua aparência. Comparando com resultados de um estudo similar, apresentado em 2006 pela Men’s Health/APEME, só 57 por cento dos respondentes assumiu esta posição.

As primeiras razões que levam o homem a cuidar-se são “porque a sociedade de hoje assim o exige” (30,7%), para “causar melhor impressão no trabalho” (22,1%) e para “parecer mais jovem” (15,8%).

Quando questionados acerca dos efeitos que pretendem com a utilização de produtos e/ou técnicas, 71,5 por cento dos respondentes refere o facto de “melhorar o aspecto actual”, enquanto que “reduzir os efeitos de envelhecimento” foi a razão apresentada em 36,1 por cento dos inquéritos analisados.

Mais de metade dos inquiridos, 66,8 por cento, não considera que as mulheres tenham que se cuidar mais que os homens. 76,5 por cento das respostas foram afirmativas à questão “Estaria disposto a submeter-se a um tratamento estético para melhorar a sua imagem?”.

Sendo que ,destas, 21,3% diz respeito a branqueamento dentário e, igualmente com a mesma taxa de respostas, a limpeza facial. Na opinião da maioria dos inquiridos (66,6%), os homens despendem entre 10 a 15 minutos, diariamente, para cuidado pessoal além do duche.

O rosto (72,8%) é a parte do corpo masculino que requer mais cuidados, enquanto que os ombros (5,6%) é a zona menos referida. A maioria dos homens (65,1 % das respostas) utiliza entre 2 e 3 produtos de cuidado pessoal, excluindo o champô, a pasta dentífrica e o desodorizante.

Enquanto que o creme hidratante é o produto mais apontado por 83,5 por cento das respostas. 75 por cento dos inquiridos assume aparar os pêlos ou depilar-se.

Destes, 74,8 por cento, referem o cabelo e, 58,7 por cento, referem aparar os pêlos púbicos com frequência. Para a maioria dos respondentes, 87,1 por cento, a existência de produtos de cosmética especiais para homens é uma ideia do seu agrado.

O estudo foi feito com base num inquérito que envolveu 1729 respostas, realizado online, entre 1 de Junho e 18 de Julho, assim como dados qualitativos provenientes de um painel constituído para o efeito por dez especialistas ligados, directa ou indirectamente, ao sector dos media e às áreas da moda e beleza.

O “Estudo de Cosmética e Cuidado Pessoal 2008” conclui observar-se em Portugal uma maior aceitação dos produtos/ técnicas desta categoria, menos preconceitos sociais e um maior conhecimento por parte do público masculino.

”A euforia da cosmética masculina é um caminho sem volta. O robusto crescimento do número de produtos especificamente masculinos denuncia a ascensão do mercado que cada segundo nos surpreende com um novo e mais inovador lançamento. Enquanto que o mercado feminino está mais adormecido pela falta de criatividade, os homens aproveitam a disposição do mercado e desbravam novos caminhos”, refere Cátia Dias, editora de Beleza e Moda da revista Men’s Health.

A revista atribui igualmente, pela primeira vez e após 20 anos da existência de um evento similar em Portugal destinado às mulheres por uma revista feminina de referência, os “1 ºs Prémios de Cuidado Pessoal Masculino 2007/2008”.

Trata-se de uma distinção aos melhores produtos de 16 categorias na área da cosmética e cuidados pessoais, atribuída pela redacção e por um conjunto de dez especialistas.

 

20 de Novembro de 2008

Comentários