Estimulantes sexuais podem conduzir a infertilidade

Centro de terapias chinesas alerta para o facto

O uso de medicamentos para aumentar o prazer pode afetar, para a medicina tradicional chinesa, a fertilidade.

Segundo Wenqian Chen, especialista em Medicina Tradicional Chinesa (MTC) e diretora há mais de 20 anos do Centro de Terapias Chinesas, “estes químicos só estimulam o que já se tem pouco, não tratando de todo. Pelo contrário! Nós ou temos vontade ou não temos. É o mesmo que tomar café. Se não há energia convém não criar energia falsa com pílulas.

No verão temos muita energia e é uma época que nos permite dormir menos, mas devemos ter cuidado e não exagerar porque depois nos outros períodos o nosso corpo não tem energia suficiente.” Um estudo recente divulgado pela revista Times revela que existe uma correlação forte entre a toma de suplementos que melhoram a performance sexual e o risco aumentado de desenvolver cancro de pele. Já o Centro de Terapias Chinesas alerta que para além disso, também existem outros riscos da toma destes químicos, nomeadamente no que diz respeito à infertilidade. De acordo com a Medicina Tradicional Chinesa, o problema não está no aumento do desejo mas no que faz, muitas vezes, quando se sente a falta dele. “Se por um lado esta é a altura em que devemos e podemos ter mais atividade sexual, por outro é importante ouvir-se o corpo e só ter relações quando há vontade para que não haja gasto de energia, seguido de quebras. Até porque mais tarde o corpo ressente-se de diversas formas.”

Surgem assim problemas como infertilidade e impotência sexual que, para a MTC, representam um vazio de energia do rim, pelo que o excesso de consumo energético, nomeadamente sexual, costuma conduzir a estes quadros clínicos.

artigo do parceiro: Nilza Rodrigues

Comentários