Em França não se trabalha fora de horas. Está na lei

Desde 1 de janeiro, todas as empresas francesas são obrigadas a entrar em negociações com os seus trabalhadores de forma a definir os seus direitos no que concerne ao uso de dispositivos móveis fora do horário laboral. O objetivo é reduzir a intromissão do trabalho na vida pessoal de milhares de pessoas.

Desde 1 de janeiro, todas as empresas francesas s

Se é daquelas pessoas que aos fins de semana sucumbe aos pedidos do seu patrão para acabar aquele relatório urgente, fique a saber que a partir de agora já pode recusar resolver questões profissionais fora do escritório. Isto claro se viver em França.

Em causa está uma lei do trabalho, que entrou em vigor no dia 1 de janeiro, que concede a todos os trabalhadores franceses o 'direito de desconectar' de todos os seus dispositivos móveis após o horário laboral. De acordo com a notícia, avançada pelo jornal inglês The Guardian, a medida deverá ser implementada por todas as empresas com mais de 50 trabalhadores de forma a contornar as poucas horas de sono, esgotamento e problemas familiares que este tipo de abuso, permitido pelos dispositivos móveis, provoca na vida e saúde dos trabalhadores.

Mas como é que isto se processa? A empresa deverá reunir-se com os funcionários para definir e negociar os seus direitos no que diz respeito ao facto de poderem ignorar o telemóvel e email para a resolução de questões profissionais fora do escritório. Se ambas as partes não chegarem a acordo, a empresa deverá comunicar, através de carta, aos empregados quais os seus direitos e obrigações relativamente ao trabalho fora de horas.

Recorde-se que apesar da lei só ter entrado em vigor em França este ano, a verdade é que já existiam empresas alemãs que seguiam este tipo de medidas. Por exemplo, a Volkswagen e Daimler autorizaram a destruição automática de todos os emails que fossem enviados a trabalhadores durante o período de férias e proibiram as comunicações através de emails durante a tarde e fim de semana.

Apesar do ‘direito de desconetar’ ser uma medida aplaudida pelos sindicatos e diversos meios de comunicação franceses, a verdade é que a lei não prevê qualquer tipo de sanção para as empresas que não fizeram nada relativamente a este respeito.

Comentários