Descoberta a segunda árvore mais velha de Portugal

Oliveira com 2.450 anos identificada em Reguengos de Monsaraz

Uma equipa de investigadores da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) acaba de datar uma das oliveiras presentes no recinto do Hotel Horta da Moura, em Reguengos de Monsaraz.

Através de um método científico inovador desenvolvido na academia sediada em Vila Real, os especialistas chegaram à conclusão que esta tem 2.450 anos.

Segundo a UTAD, esta é «a segunda árvore certificada mais antiga de Portugal». «A mais antiga árvore portuguesa conhecida é uma oliveira com 2.850 anos e foi também certificada pela UTAD há dois anos, em Santa Iria de Azóia», nos arredores de Lisboa. «A oliveira de Monsaraz, cujo tronco precisa de sete homens para o abraçar, recebeu a certidão de idade num ato público decorrido na passada quarta-feira dia 18 [de dezembro de 2013], na aldeia típica, localizada no concelho de Reguengos de Monsaraz», refere o comunicado de imprensa emitido na ocasião.

O método de datação foi desenvolvido pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em parceria com a empresa Oliveiras Milenares e tem como mentores os investigadores do departamento de Ciências Florestais e Arquitetura Paisagista José Luís Louzada e Pacheco Marques. «Esta metodologia consiste num cálculo, que é feito através de um modelo matemático que relaciona a idade com uma característica dendrométrica do tronco, como seja o raio, diâmetro ou perímetro do tronco», descrevem.

oliveira

artigo do parceiro:

Comentários