Campanha contra uso do telemóvel durante a condução sai à rua

Chama-se ‘A PROMESSA’ e tem Tony Carreira, Nelly Furtado e Luís Figo como embaixadores

A campanha ‘A PROMESSA’, que visa sensibilizar para os riscos da utilização do telemóvel durante a condução, passará a ser difundida na Comunicação Social, nomeadamente na televisão e na rádio.

Os spots, que já estão gravados, foram realizados pro bono pelas empresas Film Brokers, Winicio, Garage e Ingreme e com a colaboração dos locutores Alfredo Brito, Madalena Brandão e Joana Metrass. A música original ficou a cargo do músico Nuno Tempero.

Desta forma,’ A PROMESSA’ reforça a sua missão de prevenção dos acidentes e mortes nas estradas provocadas por distrações devido ao uso do telemóvel, seja para falar como para ler ou escrever mensagens. Por isso, assinando esta campanha online, cada um assume perante si e os que lhe são próximos o compromisso de não utilizar o telemóvel durante a condução.

Tony Carreira, Nelly Furtado, Luís Figo, David Fonseca, Tiago Monteiro, Júlia Pinheiro e Ana Rita Clara são as figuras públicas que se associaram a esta causa, na qualidade de Embaixadores.

Recorde-se que, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 1,2 milhões de pessoas morrem todos os anos em acidentes de viação e mais de 20 milhões sofrem ferimentos neste contexto.

A mesma organização prevê ainda que, em 2030, a sinistralidade se torne na 5.ª maior causa de morte a nível mundial, ultrapassando causas como a violência ou doenças como o cancro, HIV e diabetes.

De acordo com Jorge Caldeira, autor de ‘A PROMESSA’, cabe a cada um contribuir para evitar estas mortes e não apenas aos condutores. “Também aqueles que não conduzem podem influenciar e sensibilizar quem o faz para os bons comportamentos a adotar na estrada e, em concreto, para os graves perigos da utilização do telemóvel, mesmo utilizando um sistema de mãos livres. Uma viatura nas mãos de um condutor distraído com o telemóvel é uma arma letal e pode destruir vidas em apenas alguns segundos e é muito importante que as pessoas estejam sensibilizadas para isso”, vincou.

19 de fevereiro de 2013

artigo do parceiro: Nilza Rodrigues

Comentários