BIC Cristal comemora 60 anos

Data é assinalada com edição limitada em ouro e prata

Uma das esferográficas mais famosas do século passado faz 60 anos. Para assinalar a data, foram criadas duas edições especiais, uma em ouro e outra em prata.

A BIC Cristal dourada (com tinta azul) e a BIC Cristal prateada (com tinta preta) são vendidas num blister, já disponível em papelarias e supermercados, com as duas unidades e prometem tornar-se rapidamente num objecto de coleccionador.

«O prateado e dourado são as cores certas para marcar os 60 anos da BIC Cristal, a esferográfica de culto que depressa conquistou um grupo de fiéis seguidores, transformando-se num produto tão universal quanto indispensável. Ao longo dos anos, BIC Cristal conquistou ainda o estatuto de obra de arte, fazendo parte da colecção permanente do Museu de Arte Moderna em Nova Iorque (MoMA) e do Museu Nacional de Arte Moderna do Centro Georges Pompidou, em Paris», refere a empresa que a comercializa em comunicado.

Os primeiros exemplares destas esferográficas foram lançados em França em Dezembro de 1950, cinco anos antes do barão Marcel Bich se ter juntado a Edouard Buffard para criar uma empresa que fabricava peças para instrumentos de escrita em Clichy. Quando as primeiras canetas esferográficas começaram a aparecer no mercado, Marcel Bich reparou na velocidade que estas conferiam à escrita e apercebeu-se de que poderiam revolucionar o negócio.

Com esse intuito, comprou a patente da caneta desenvolvida pelo húngaro Laszlo Biro e começou a conceber a fórmula de tinta ideal, o encaixe perfeito entre a esfera e o tubo de tinta, utilizando a habilidade e a técnica dos relojoeiros suíços, com a preocupação de conceber um objecto atractivo e funcional.

Após trabalhar intensivamente durante vários anos ao ponto de colocar todo o capital da sua empresa em risco, lançou os primeiros exemplares da esferográfica no mercado em 1950. Chamou-lhe BIC Cristal, custava apenas 50 cêntimos franceses e era recarregável. O sucesso foi imediato!

No primeiro ano de produção, foram vendidas diariamente 10.000 canetas. Pouco tempo depois, o produto era lançado noutros mercados. Chegou à Bélgica em 1951, à Itália em 1954, ao Brasil em 1956 e ao Reino Unido, à África do Sul e ao Pacífico Sul em 1957. Em 1958, Marcel Bich lançou-se na conquista do mercado
norte-americano.

«Hoje, 60 anos depois, continua a ser fabricada pela BIC nas suas próprias fábricas em França, no Brasil, no México e na África do Sul, em máquinas que também foram desenvolvidas pela própria companhia. E a empresa também fabrica a sua própria tinta, para garantir uma experiência de escrita suave e de alta qualidade», asseguram os seus responsáveis em comunicado.

De acordo com o fabricante, uma só BIC Cristal permite-lhe escrever até dois quilómetros, duas vezes mais do que uma esferográfica comum. Permite-lhe também preencher 986 quadros de sudoku, escrever 506 postais ou ainda
criar uma reprodução de tamanho 37x42 cm do famoso quadro de Johannes Vermmer «A rapariga do brinco de pérola».

11 de Fevereiro de 2011

artigo do parceiro:

Comentários