Artista francesa recorre a técnica de fotografia antiga para criar imagens nostálgicas e surpreendentes

Jacqueline Roberts fotografa na chapa para explorar a transição da infância para a adolescência. O método foi inventado em 1851 por Frederick Scott Archer e Gustave Le Gray.

Jacqueline Roberts recorre a uma técnica de fotografia antiga para criar imagens nostálgicas e surpreendentes. A artista francesa fotografa na chapa para explorar a transição da infância para a adolescência. O método foi inventado em 1851 por Frederick Scott Archer e Gustave Le Gray e, no fim do século XIX e até meados do século XX era, sobretudo, usado em retratos e para obter imagens de paisagens naturais e de edifícios.

«Para mim, esta forma de fotografia é fascinante a vários níveis», justificou já publicamente a fotógrafa autodidata. «Da preparação dos químicos ao corte do vidro e à utilização da chapa, passando pelo processo de revelação até, finalmente, conseguir ter a fotografia na minha mão, adoro todo o ceremonial envolvido, assim como a parte física e manual que exige», acrescenta ainda.

A técnica que utiliza intensifica as expressões das crianças que fotografou, criando imagens fortes e datadas. Para as obter, Jacqueline Roberts, que já publicou o livro «Nebula», teve de utilizar uma câmara escura portátil e fazer várias impressões do mesmo negativo e recorrer a um daguerreotipo, um processo fotográfico que cria uma nitidez e uma claridade que dificilmente poderiam ser obtidas de outra forma.

Texto: Luis Batista Gonçalves

artigo do parceiro:

Comentários