Amar e deixar viver

E proporcionar um apoio feliz a cada nova partida

- Sabes onde estou??-

- Sei. Algures em Itália, numa esplanada, a beber uma cerveja com os teus amigos...-

- Vá lá! Tenta! Se acertares, levo-te uma prenda!-

  Fiquei realmente feliz com todo aquele entusiasmo.

- Desisto, diz-me tu.-

- Estamos na praça de São Marcos, em Veneza!

  Os amigos, ao fundo, confirmavam o facto.

- Ohhhh pááá... Que bom!!!- exclamei, com um sorriso rasgado.

 No dia anterior, depois de aterrar em Bolonha, o Ricardo ligou-me com uma vozinha triste:

- Está a chover... Tenho saudades tuas. É tão bom viajar contigo... És tão divertida... é diferente.

- Deixa de ser parvo! Temos o resto da vida para conhecer o Mundo. Agora vai divertir-te e aproveitar a companhia dos teus amigos, palerma!-

Amar é deixar viver. É potenciar as experiências do outro mesmo quando não estamos nelas. É ficar feliz com o enriquecimento do outro como se acontecesse connosco.

Poderia dizer também que amar bem é deixar partir, mas estaria a falhar uma das premissas mais básicas: ninguém é dono de ninguém para se arrogar o direito de permitir ou proibir o que quer que seja.

Amar é deixar viver. E é proporcionar um apoio feliz a cada nova partida. Só assim o nosso par entende todo o nosso valor e regressa não só mais rico e belo ... como a morrer de saudades.

Ana Amorim Dias

Biografia

artigo do parceiro: Ana Amorim Dias

Comentários