Algas do mar ibérico usadas em novo tratamento de talassoterapia

Equipa de investigadores da Universidade de Coimbra já registou a marca SeAlgae

Chama-se SeAlgae e é a marca com que pode ver a ser comercializado um novo novo tratamento estético para a regeneração celular e a eliminação de gorduras localizadas criado em Portugal.

Desenvolvido por uma equipa de investigadores do Instituto do Mar (IMAR) da Universidade de Coimbra, o inovador kit de talassoterapia 100% natural utiliza ervas marinhas recolhidas exclusivamente no mar ibérico.

O tratamento com produtos à base de extratos de algas aliadas a sais marinhos encontra-se em fase de protótipo e resulta de um projeto de investigação realizada ao longo dos últimos dois anos, com a colaboração da marca TussieMussie. A equipa liderada pelo investigador Leonel Pereira, especialista em macroalgas marinhas, começou por efetuar uma triagem rigorosa das espécies com elevado potencial, tendo selecionado quatro espécies de macroalgas vermelhas, verdes e castanhas, com as características ideais para tratamentos de cosmética e bem-estar.

«O projeto prosseguiu com novos estudos e experiências para o processo de transformação das algas, mas os investigadores foram confrontados com o odor pouco agradável que caracteriza os produtos feitos à base de algas. Entrou, então, a marca TussieMussie que trabalha com óleos essenciais e cosmética natural», informa a Universidade de Coimbra em comunicado. Seguiram-se «milhares de formulações galénicas (preparação de doses adequadas e personalizadas) e outras tantas experiências até conseguirmos compatibilizar produtos e obter estabilidade microbiológica», pode ler-se no documento.

«Mas aqui é que está a grande inovação. Além de resolvermos um problema, desenvolvemos os primeiros produtos de talassoterapia 100% naturais, provenientes exclusivamente de macroalgas do mar ibérico, de plantas aromáticas portuguesas e de sal colhido de forma artesanal nas salinas do estuário do Mondego», realça o coordenador do projeto, Leonel Pereira.

Kit de uso pessoal mais acessível a mulheres

Considerando que a talassoterapia está associada a tratamentos dispendiosos em spas e clínicas de bem-estar, os investigadores pretendem «democratizar o acesso a este tipo de produtos, tornando este potencial das macroalgas disponível ao maior número possível de consumidores. Por isso, além de apostar numa gama para as clínicas e spas, desenvolvemos um kit para uso pessoal, com um custo acessível, para aplicação no conforto do lar», esclarece o também docente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

Com vista à comercialização da SeAlgae, os investigadores pretendem iniciar, até ao fim de 2014, ensaios e testes que permitam a certificação do conjunto de produtos e criar uma spin-off do IMAR. No mercado «há ainda uma oferta limitada deste tipo de produtos, sendo que a maioria dos existentes peca pela utilização de compostos químicos sintéticos na sua composição. As algas possuem ótimas características para fins terapêuticos», realça o especialista.

«São muito eficazes, por exemplo, na regeneração celular e na eliminação de gorduras localizadas, característica fundamental em tratamentos adelgaçantes», conclui Leonel Pereira, que estuda macroalgas há mais de duas décadas. As algas, substantivo que tem origem numa palavra em latim que significa ervas do mar, são seres avasculares, uma vez que não possuem vasos condutores de seiva.

artigo do parceiro:

Comentários