A Violência Não Faz o Meu Género

Exposição de cartoons no Edifício Novo da Assembleia da República

Entrada Livre

Até 30 de Novembro

de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 17h30

No âmbito da Campanha de «Combate à Violência Contra as Mulheres, incluindo a Violência Doméstica», encontra-se patente no novo edifício da Assembleia da República uma exposição de cartoons que alertam para a crescente problemática da violência doméstica.

Os trabalhos em exposição são assinados por cartoonistas de várias nacionalidades, entre as quais Portugal, Espanha, Cuba, Bolívia, Itália, Polónia, Perú, México, França, México, Colômbia, El Salvador, Argentina. O denominador comum é a violência doméstica e o papel ridículo dos seus protagonistas

Em entrevista à TSF, o cartonista António sublinha a função cívica e social dos cartoons, afirmando que servem para mostrar uma outra imagem das coisas, mesmo as mais sérias. O efeito da mensagem é universal. Audio: Cartoonista António destaca participação do cartoon em acções cívicas

No que toca aos números da violência doméstica, o aumento tem sido galopante. No primeiro semestre de 2007 foram registas mais de 7 mil participações de violência em Portugal. Segundo a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) este número reflecte um aumento de 17,6 por cento em relação ao mesmo período do ano passado.

Dos números estatísticos para a realidade, em Portugal semanalmente 112 mulheres são vítimas de crime.

A campanha «Combate à Violência contra as Mulheres, incluindo a Violência Doméstica» foi apresentada em 2006 e tem como objectivo consciencializar a sociedade para o facto de a violência contra as mulheres constituir uma violação dos direitos humanos.

Inserida no âmbito do novo Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), a campanha pretende estimular os Estados-membros da União Europeia a desenvolver políticas que permitam erradicar este tipo de violência e dar apoio às Organizações Não Governamentais (ONG) que se dedicam à prevenção e ao combate à violência de género e à violência doméstica em particular.

Texto: Ana Margarida Lázaro

Foto: Cartoon de Aristides Estebn Hernandez Guerrero (Ares)

Comentários