Vá de férias e proteja a sua saúde

Conheça alguns conselhos que poderão ajudar a proteger a sua saúde em tempos de férias

Quando o calendário avança e as temperaturas sobem, o foco da generalidade das famílias centra-se nas férias de verão. Se este é o seu caso e se em breve vai de férias, conheça alguns cuidados a ter em conta para proteger a sua saúde durante os dias de descanso. Saiba ainda quais são os seus direitos no caso de adoecer no estrangeiro.

1. Faça o trabalho de casa

Se já escolheu o seu destino de férias, além fazer uma planificação sobre os pontos de interesse a visitar e as atividades que poderá colocar em prática durante os dias de lazer é também importante certificar-se se são necessários cuidados de saúde específicos. Por exemplo, se vai viajar para um país exótico verifique se é necessária alguma vacinação especial. Se for esse o caso, marque com algum tempo de antecedência (com quatro a oito semanas de antecedência) uma consulta do viajante. Esta consulta é importante para obter aconselhamento médico sobre os riscos para a saúde relacionados com a sua viagem. Além da prescrição das vacinações indicadas para o seu destino de férias, poderá haver lugar à prescrição de profilaxia contra a malária, se for caso disso. Nesta consulta, também as pessoas com características especiais - como grávidas, crianças, idosos ou pessoas com doenças crónicas – poderão ter acesso a aconselhamento específico para o seu caso pessoal. Leia também o artigo "Sete dicas para poupar nos cuidados de saúde".

2. Se vai viajar para a Europa peça o Cartão Europeu de Seguro de doença

Se o seu destino de férias for um país dentro da União Europeia não se esqueça de pedir o Cartão Europeu de Seguro de Doença. Este cartão é válido nos 28 países da União Europeia e ainda para a Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça. Ao ter este cartão consigo durante a viagem ele garante-lhe o acesso aos mesmos cuidados de saúde no (sistema público), que os cidadãos que vivem nesse país. Isto significa que consoante a legislação específica de cada país, os cuidados de saúde podem ser gratuitos, ou pode haver lugar ao pagamento de taxas moderadoras ou de comparticipações não reembolsáveis. Um dado importante a ressalvar é que este cartão não pode ser visto como um seguro de viagem já que não cobre cuidados de saúde prestados no sistema de saúde privado. O pedido do Cartão Europeu de Seguro de Doença pode ser solicitado pela internet (através da Segurança Social Direta) ou presencialmente nos serviços do subsistema de saúde do utente e nas Lojas do Cidadão. O pedido deste cartão não tem custos e o documento é válido por um período de três anos. Para mais informação consulte o guia disponível no site da Segurança Social ou o Portal da Saúde. Veja também o artigo "Sete dicas para comparar seguros de saúde".

3. Leve consigo um kit de primeiros socorros para qualquer eventualidade

Porque “prevenir é mesmo melhor do que remediar” é importante que leve consigo um estojo médico com medicamentos básicos e material de primeiros socorros que poderão ser-lhe úteis durante a sua viagem. Além de protetor solar e do repelente pode ser conveniente incluir analgésicos e anti-histamínicos (úteis como resposta a alergias e também para tratar casos de irritação na pele provocada, por exemplo, por picadas de insetos). As gotas oftálmicas também são mais um exemplo de um produto que deve constar neste kit médico e que servirá para descongestionar os olhos irritados quer pela água da piscina, quer pela água salgada do mar. Obviamente, kit de primeiros socorros deverá ser adequado às características individuais de cada pessoa e às necessidades decorrentes do destino de viagem. Se for doente crónico, viajar para o estrangeiro e tiver necessidade de adquirir medicamentos em outro país da EU pode pedir ao seu médico que lhe passe uma receita transfronteiriça. Segundo informações disponíveis no site “A Sua Europa”, da responsabilidade da Comissão Europeia, a receita transfronteiriça está “especialmente destinada da ser apresentada noutro país da UE. O objetivo é ajudar o farmacêutico a perceber mais facilmente a receita, os componentes do medicamento e a respetiva dosagem”. Leia também o artigo "10 Coisas que deve fazer pela sua saúde".

Leia também os artigos relacionados com o mesmo tema:

- Cinco sugestões de férias por menos de 250 euros
- 10 sites para planear fazer férias baratas
- Como fazer férias em casa sem ficar deprimido

artigo do parceiro:

Comentários