Seis conselhos para poupar no regresso às aulas

Dicas para não deixar que o início das aulas dos seus filhos arruíne o seu orçamento.
créditos: Pixabay

Com o mês de setembro a aproximar-se e as férias de verão a terminarem, para milhares de famílias começa o ritual de compra de material escolar para o novo ano letivo. Um processo que pode ser penoso, especialmente, para a carteira e a conta bancária dos progenitores.

Um estudo do Observador Cetelem indica que os consumidores portugueses inquiridos contam gastar 393 euros no regresso às aulas, menos do que no ano anterior. Um valor que não é difícil de atingir tendo em conta o cabaz de artigos que muitos pais têm de adquirir. Além dos manuais escolares é preciso contabilizar a mochila, os cadernos, dossiers, canetas, lápis, réguas, esquadros, estojos, borrachas, etc.

É importante contabilizar também outros artigos complementares - como o fato de treino e os ténis para a ginástica. E à medida que o grau de escolaridade vai evoluindo, a fatura vai aumentando. O Saldo Positivo dá-lhe seis dicas a ter em conta para evitar que o regresso às aulas seja uma fonte de problemas para a sua carteira.

1. Prepare-se com antecedência:

As despesas com a compra de material de escolar no final do verão são gastos previsíveis, no sentido em que as famílias sabem que nesta altura do ano têm sempre despesas adicionais com a educação dos filhos. Por isso mesmo, é aconselhável que os progenitores prevejam estes gastos com alguns meses de antecedência para conseguirem juntar um pé de meia suficiente para cobrir estes encargos. Por exemplo: há quem reserve o reembolso do IRS ou uma parcela do subsídio de férias do agregado familiar para pagar as compras do material escolar dos filhos.

2. Faça uma lista e veja o que pode aproveitar de anos anteriores:

Antes de rumar a um hipermercado para fazer as compras é importante fazer primeiro o trabalho de casa. Isto significa que deverá fazer uma espécie de inventário para perceber que objetos do material escolar dos seus filhos poderão ser reutilizados no próximo ano letivo. Ao mesmo tempo, faça uma lista de tudo o que precisa de comprar para evitar comprar mais objetos do que aqueles que os seus filhos realmente precisarão.

3. Estabeleça um compromisso com os seus filhos:

Outro ponto importante a ter em conta é a seleção do material escolar a comprar. Porque a diversidade dos materiais (e dos preços) é tão elevada que facilmente os pais perdem a noção dos gastos. Alguns especialistas aconselham os pais a estipularem um valor máximo de gastos com a compra de material por cada filho. Desta forma, se o seu filho quiser ter uma mochila mais cara, para compensar ele deverá ter de escolher umas canetas mais básicas e baratas. Desta forma, consegue ir ao encontro dos desejos dos seus filhos sem comprometer o orçamento da família.

4. Analise as promoções nos sites das editoras:

É já uma prática regular entre as editoras de manuais escolares: os consumidores que optem por fazer a encomenda de livros através do site das editoras podem beneficiar de descontos que variam entre os 10% e os 12% na fatura final. Algumas delas facilitam também o parcelamento do pagamento dos livros escolares, sem a cobrança de juros. Esta poderá ser assim uma opção a ter em conta para poupar alguns euros na época do regresso às aulas. Aliás, a internet pode ser uma boa aliada da sua carteira nesta época do ano, já que existem vários blogues que reúnem informação sobre os descontos e promoções que é possível obter na compra de material escolar um pouco por todo o país.

5. Pondere adquirir os manuais escolares em segunda mão:

Se o orçamento familiar já está muito apertado e não tem possibilidade financeira para comprar os manuais escolares novos, poderá adquiri-los em segunda mão. O portal de classificados OLX, por exemplo, tem uma secção dedicada exclusivamente aos livros escolares, com preços a partir de um euro. Não se esqueça, no entanto, que se trata de livros usados. Por isso, é importante dar atenção ao estado de conservação destes livros antes de realizar uma compra.

Mas há mais opções. Poderá trocar os seus manuais do ano passado por aqueles que necessita este ano. Isso é possível graças ao Movimento pela Reutilização dos Livros Escolares. Este movimento promove e divulga bancos de recolha e troca de manuais escolares em todo o país, de forma gratuita. Para saber onde se poderá dirigir para realizar a troca dos manuais escolares, consulte o site do movimento aqui.

6. Não se esqueça de pedir fatura para deduzir os gastos no IRS:

Outra questão importante a ter em conta é pedir sempre a fatura do material escolar que comprar para os seus filhos. Isto porque poderá deduzir estas despesas na próxima declaração de IRS que entregar. O fisco permite que as famílias deduzam 30% das despesas realizadas com a educação até a um limite de 800 euros, tendo para isso de gastar um total de 2, 666,66 euros. No caso das famílias com três ou mais dependentes, os limites são majorados em 5% por dependente.

artigo do parceiro:

Comentários