Seguros no feminino

Aprenda a escolher a opção que se pode revelar mais vantajosa para si

Há três pontos fundamentais a que deve estar atenta ao escolher um seguro.

O limite de capital anual, as franquias e o período de carência.

Um seguro de vida é tanto melhor quanto maior for o limite de capital seguro (montante pago em caso de morte ou invalidez e que serve de base ao cálculo do prémio do seguro).

Num seguro de saúde é importante que as franquias (a fatia que irá pagar sempre do seu bolso) sejam menores e o período de carência (o prazo que terá de esperar desde que contrata o seguro até que o possa usar) seja curto. Existem vários produtos disponíveis no mercado, nomeadamente seguros concebidos especificamente a pensar no sexo feminino. Fique a par do que propõem.

As coberturas

Antes de optar por um seguro de saúde, deve começar por identificar as coberturas que se adequam às suas necessidades. Segundo Mónica Dias, especialista em seguros da Deco Proteste, em geral, «as principais coberturas são o internamento hospitalar, a assistência ambulatória e o parto, no caso de uma mulher que pretende engravidar». Não contrate um seguro a pensar em coberturas menores, como estomatologia.

As despesas cobertas nesses casos não são assim tão importantes e os limites de capital normalmente são baixos, sem esquecer que têm franquias elevadas. Só para as mulheres existem ainda planos centrados, por exemplo, em despesas de saúde na gravidez e parto. Já os seguros de vida exclusivos para o público feminino têm coberturas muito específicas ligadas a doenças femininas (como o cancro ginecológico) que, segundo Mónica Dias, também estão previstas nos restantes seguros.

Estes são alguns dos programas de proteção a que pode recorrer:

- Cartão Activecare Maternal (Multicare)

Sem limite de idade, é uma solução específica para futuras mães. Não tem período de carência, dando acesso a parto, consultas ou tratamentos a preços convencionados. Permite o tratamento de doenças graves, sejam femininas ou não. Custa 132 euros por ano e não lhe são aplicados limites de capital, nem de utilização.

- CA Mulher (Caixa Agrícola)

É um seguro de vida que subscrito entre os 18 e os 55 anos, permite gerir o capital seguro caso exista diagnóstico de doença grave (como cancro da mama ou do colo uterino) diagnosticado durante a vigência do contrato. Dá acesso a um segundo parecer médico e garantia de estabilidade financeira face a ausência ou redução de rendimento. Cobre outras doenças como AVC. O capital seguro pode ir dos 25 mil aos 100 mil euros. O prémio é calculado em função da idade e capital seguro e de acordo com as tarifas em vigor à data do cálculo.

- Eurovida Mulher Segura

É um seguro de vida disponível em duas opções, uma orientada para mulheres entre os 18 e os 37 anos (que inclui assistência clínica em casos de infertilidade feminina primária e cuidados médicos no caso de nascimento de um fi lho deficiente) e outro destinado a mulheres entre os 38 e os 50 anos que inclui o acesso a tecnologia de diagnóstico de um tipo específico de cancro feminino (mama, útero e ovários).

Tem ainda como opção coberturas na área de cirurgia plástica reconstrutiva após acidente, proteção dentária e assistência médica e pessoal. Este seguro custa desde 2,40 euros, por mês. Os prémios são pagos anualmente, por débito em conta bancária e têm encargos de fracionamento de 2,857% (semestral), 4,854% (trimestral) e 8% (mensal).

- Logo Saúde

Por ser modular, o tomador deste seguro de saúde compra o que necessita. Não é exclusivo para o sexo feminino, mas entre as coberturas, há algumas pensadas para mulheres, nomeadamente parto até aos 50 anos, análises e exames femininos (como mamografia, ecografia ginecológica, ecografia mamária), consultas de estética, nutrição, genética e criopreservação.

O capital é de cinco mil ou 15 mil euros para internamento, consoante as idades. Não existe idade mínima de subscrição e a máxima depende do módulo e varia entre os 65 anos e os 95 anos. Custa desde três euros por mês.

- Prévoir Solução Mulher

Seguro de vida em que o capital seguro é determinado pela mulher, de acordo com a sua disponibilidade financeira. Antecipa 50% do capital seguro, em caso de diagnóstico de doença grave feminina, sendo que o capital pode ser utilizado para outros fins. Após o pagamento desse capital, o contrato mantém-se em vigor com as outras coberturas de morte e assistência. Inclui acesso a uma segunda opinião médica e apoio (deslocações, alojamento, guarda das crianças) nas doenças femininas, por exemplo, cancro da mama, útero ou ovários. Custa 10,23 euros por mês.

- Seguro Caixa Woman (Caixa Geral de Depósitos)

Seguro de vida dirigido a mulheres entre os 20 e os 50 anos, garante, em caso de morte, o pagamento do capital seguro, que poderá ir até 100 mil euros, consoante a opção de capital escolhida e, em caso de diagnóstico de doença grave (cancro da mama ou ginecológico), a antecipação de 50% do capital seguro. Dá acesso a uma segunda opinião médica pelos especialistas da rede internacional Best Doctors. O valor do prémio depende do capital escolhido e da idade da pessoa segura, sendo atualizado anualmente.

- Seguro Mulher (Fidelidade)

É um seguro de vida específi co para mulheres entre os 20 e os 50 anos e que cobre exclusivamente doenças graves femininas. Em caso de diagnóstico de uma dessas doenças, é antecipado 50% do capital contratado que pode ser utilizado com total liberdade. Nesta situação, o seguro mantém-se com o ajustamento de coberturas, nomeadamente para morte e segunda opinião médica. O capital mínimo de contratação é de 25 mil euros e o máximo é de 100 mil euros. O preço depende da idade da cliente, do capital seguro e das coberturas contratadas.

Os prémios

Os prémios dos seguros para mulheres são geralmente mais baixos, sendo uma solução para quem tem um orçamento mais reduzido, embora outras doenças graves que não sejam exclusivamente femininas não estejam, geralmente, cobertas neste tipo de produto, indica Mónica Dias que considera preferível escolher «um bom seguro de saúde ou de vida, porque são mais abrangentes». Ao subscrever um seguro de saúde, a especialista recomenda que se dê particular atenção às exclusões, ou seja, as situações sem cobertura. Entre as mais frequentes encontram-se os tratamentos de infertilidade, obesidade, hérnias e hemodiálise.

Historial médico

Ao contratar um seguro, ser-lhe-á pedido que preencha um questionário médico para avaliar o seu estado de saúde no momento ou a probabilidade de vir a usufruir do seguro. No caso de uma mulher com historial de cancro na família, por exemplo, há um quadro de risco acrescido, o que pode aumentar o valor que terá de pagar. Seja rigorosa nas informações que prestar, caso contrário pode ser acusada de falsas declarações e o seguro ser anulado.

Texto: Catarina Madeira com Mónica Dias (especialista em seguros na Deco Proteste)

artigo do parceiro:

Comentários