Pascale Vial, dona da SoChic

É francesa, chegou a Portugal há meia dúzia de meses e já abriu a loja mais chic de Lisboa

O trabalho do marido, que também é francês, obrigou a família a mudar-se para Lisboa, mas Pascale não se contentou em ficar em casa à espera que o filho chegasse da escola e o marido do escritório. Habituada a trabalhar nas suas lojas de moda em França e nos Estados Unidos, PascaleVial convidou o atelier Sá Aranha e Vasconcelos para lhe decorar a SoChic, uma loja glamorosa que acaba de inaugurar na Rua Ivens, no coração do Chiado, e que vai seguramente marcar a diferença. Para esta francesa elegante e bem disposta, o melhor de Portugal é a qualidade de vida.

Qual a razão que a levou a vir morar para Lisboa?

O trabalho do meu marido. Já vivemos em França, Espanha, Estados Unidos e agora Lisboa. Matriculei o meu filho com três anos e meio no Liceu Francês e instalámo-nos em Lisboa. Pretendemos ficar aqui alguns anos, porque este é um excelente país para ele estudar e crescer.

Abriu uma loja de roupa porquê, já trabalhou em moda antes?

Sim. Comecei por trabalhar em França numa grande empresa onde aprendi muito, e em Los Angeles já tive a minha primeira loja de roupa e uma fábrica de jeans. Foi esta experiência americana que me deu um conhecimento muito profundo do negócio da moda.

Gosta especialmente de moda?

Gosto muito. É o meu trabalho, e o que sei fazer.

Que tipo de roupa tem na sua loja SoChic?

Tenho várias marcas italianas e francesas que agradam a pessoas de todas as idades. Desde que abrimos já tivemos uma cliente, de 80 anos, que nos comprou um top, e uma jovem, de 15 anos, que nos comprou um vestido para um casamento.

Essas marcas são conhecidas em Portugal?

Talvez não sejam assim tão conhecidas mas são as minhas preferidas. Aliás, só tenho na minha loja as marcas que eu realmente gosto. São peças elegantes, femininas, de muito boa qualidade, a preços perfeitamente acessíveis.

Abrir uma loja com esta dimensão numa altura destas não a assusta?

Nem quero pensar nisso. Se estivermos só a pensar na crise não fazemos nada e a vida tem de andar para a frente! 

Mas a crise é real.

Sim, eu sei que as coisas estão difíceis, mas vai passar... Tenho consciência de que sou otimista mas gosto de ser assim. Faz parte da minha natureza ser positiva e até hoje nunca me dei mal com isso. O mundo não é para os medrosos, temos de arriscar!

A sua loja dos Estados Unidos ainda está aberta?

Não. Vendi tudo antes de vir para Portugal para me dedicar inteiramente a este projeto que, neste momento, é a minha prioridades.

Os estrangeiros, de uma maneira geral, gostam de morar na Linha. Optou por Cascais ou Lisboa para viver?

Escolhemos Lisboa. É mais prático. Quando chegámos, fomos viver para Cascais mas acabámos por nos mudar para Lisboa porque o meu marido trabalha aqui e o meu filho também frequenta a escola perto das Amoreiras.

Qual é a sua cidade natal em França?

Marselha, no sul de França. O meu marido também é de lá.

O seu marido apoiou o seu projeto?

Apoiou incondicionalmente. E está, tal como eu, muito entusiasmado com a minha nova loja. É muito bom para mim sentir esse entusiasmo, assim como é extremamente gratificante contar com o apoio de uma amiga com quem trabalhei em França, e que, neste momento, é o meu braço direito em Lisboa.

Está a gostar de Portugal?

Estou a gostar muitíssimo. As pessoas são acolhedoras, simpáticas, e trabalham muito bem. Estou agradavelmente surpreendida com a qualidade profissional que encontrei aqui.

Já se habituou à nossa gastronomia?

Adoro. Apesar de apreciar especialmente a cozinha francesa, não há dúvida de que a comida portuguesa é muito boa. Mas o melhor de tudo é mesmo a qualidade de vida. Em França há muito mais stresse!

Para quem chegou a Portugal há tão pouco tempo, já fala razoavelmente português.

Já falava espanhol o que me ajudou muitíssimo. E na loja esforço-me para falar português com todos os colaboradores e também com as clientes.

Desde que abriu a sua loja no Chiado que tipo de clientes tem tido?

A loja recebe muitos turistas mas também clientes locais de todas as faixas etárias que querem uma moda despretensiosa mas elegante.

Boa sorte para a sua loja!

Obrigada. Com empenho, qualidade, bom gosto e preços justos eu sei que vou ter.

artigo do parceiro: Palmira Correia

Comentários