Os custos inesperados de ter um bebé

Além das despesas básicas, existem outros custos inesperados. Conheça-os.

Fraldas, biberons, medicamentos, leite artificial, pediatra, chuchas, roupa, produtos de higiene. Sem contar com os custos prévios ao nascimento que os pais tiveram (desde o mobiliário até ao carrinho), a chegada de um bebé acarreta inúmeras despesas (Como preparar financeiramente a chegada de um bebé?). Só no primeiro ano, pode contar, no mínimo, com um acréscimo de 50 euros mensais nos gastos normais do agregado familiar, o que no final do ano resulta numa subida de 600 euros na coluna dos gastos do orçamento familiar. Além das despesas básicas, existe uma variedade de custos inesperados, como as visitas rotineiras ao médico, que devem ser contempladas no orçamento familiar. Conheça alguns desses custos.

1. Custo da conveniência
Por mais poupados que os pais sejam, por vezes, não há como fugir de algumas compras inesperadas, que não deixam margem para procurar o melhor produto ao melhor preço. Às vezes a única alternativa é recorrer à farmácia de serviço para comprar o leite artificial que já acabou ou ir à mercearia da rua para comprar fraldas, o que acaba por ficar mais dispendioso do que se for a uma grande superfície. Uma dica para prevenir o gasto extra com fraldas é estar atento às promoções de fraldas nos supermercados e, nessa altura, comprar alguns “packs” para ter na despensa. Já no que diz respeito ao leite artificial, apesar de não haver promoções, pode descobrir onde se vende mais barato nas farmácias que o rodeiam e ter sempre umas latas a mais na despensa. Aprenda a poupar com as famílias numerosas

2. Biberons
Por mais planos que os pais façam, há bebés que não se adaptam ao leite materno e passa a ser necessário alimentá-lo com leite artificial. Para além do gasto com as latas de leite, é necessário ter vários biberons e esterilizadores. Comprar dois ou três biberons não é assim tão caro, no entanto, por vezes estes não se adaptam e é necessário ir comprando vários, para experimentar até acertar. Para poupar neste campo é importante ser racional na aquisição: se o bebé não se adaptar aos biberons que já tinha comprado antes dele nascer e tiver de experimentar outros, em vez de comprar muitos do mesmo modelo ou marca, vá comprando apenas uma unidade e só depois quando encontrar aquele que o satisfaz compre vários.

3. Água e eletricidade
Dizem os especialistas que os bebés devem ter sempre mais uma camada de roupa do que os adultos para se manterem quentes, no entanto, durante os meses de frio é necessário manter a casa constantemente quente, o que tem um grande impacto na conta da eletricidade. Pode ter alguns cuidados para a manter a conta em níveis menos agressivos, porém pode contar sempre com um aumento da conta de água e eletricidade.

4. Roupa
‘Bodys’ e ‘babygrows’. Os bebés crescem a grande velocidade e as roupas que compra hoje, provavelmente já não lhe servirão no próximo mês e o bebé acaba por usar as roupas meia dúzia de vezes. Acresce a isto o fato de as roupas de bebé serem demasiado caras até para a quantidade de tecido que requerem. Por isso, uma boa dica para poupar é aceitar roupa em segunda mão sempre que lhe for oferecida ou se for comprar, opte pelos ‘packs’ simples com 5 ‘bodys’ ou 5 ‘babygrows’ que ficam mais em conta. Outra opção são as lojas que vendem roupa em segunda mão como a Kid to Kid, que já estão espalhadas por todo o país. Como poupar na compra de roupa

5. Pediatra
Diz o boletim da saúde infantil que nos primeiros seis meses de vida o bebé deve ir todos os meses ao médico em consultas de rotina para pesar, medir e avaliar se o desenvolvimento do bebé está a decorrer ao ritmo esperado para a idade. A partir do meio ano a periodicidade das consultas vai espaçando. Se não tiver seguro de saúde, estas despesas vão pesar bastante no orçamento familiar, por isso o melhor é contar com estas despesas. Em alternativa ao médico privado, pode optar por acompanhar o seu filho no centro de saúde da sua área de residência. No entanto, atualmente é necessário marcar a consulta com bastante antecedência, além disso o médico que o irá atender é de clinica geral e não especializado em pediatria.

Leia também:
Três receitas para fazer com os seus filhos
Como se divertir sem gastar muitos euros
10 sites para planear férias baratas e perfeitas
Como ensinar os seus filhos a poupar?

 

artigo do parceiro:

Comentários