Oito dicas para poupar na cozinha

Conselhos para poupar alguns euros nas despesas com a alimentação

Diz o ditado que as dificuldades aguçam o engenho. Com a crise, fazer mais por menos dinheiro tornou-se uma preocupação vital para a maioria dos portugueses.

O estudo “Observador Cetelem- 2013” mostra que 95 % dos portugueses inquiridos vão limitar as suas despesas aos produtos que sejam essenciais, durante os próximos anos. Mais: 15% dos inquiridos admitem diminuir as despesas relacionadas com a compra de bens alimentares.

A pensar nestes números, o Saldo Positivo dá-lhe a conhecer alguns conselhos a ter em conta para poupar nos custos relacionados com a comida, sem comprometer os princípios de uma alimentação saudável e equilibrada.

1. Vá ao supermercado apenas uma vez por semana

Uma forma de controlar os gastos com a alimentação passa por planificar as idas aos super e hipermercados. Idealmente deverá ir apenas uma vez por semana. E para evitar trazer mais produtos do que precisa deverá ir munida de uma lista com todos os bens que necessita para confecionar as refeições durante toda a semana. Desta forma, será mais fácil não ceder à tentação de colocar mais produtos no carrinho do que aqueles que tinha previsto.

2. Não desperdice comida

Quem nunca deitou para o lixo um pedaço de pão duro? Quase todas as pessoas já o fizeram. Mas da próxima vez que deparar-se com uma carcaça dura pense duas vezes antes de deitá-la fora, porque tudo pode ter um aproveitamento. Joana Roque, blogger e autora de três livros de culinária (“Feito em casa”; “Cozinhar, Celebrar e Partilhar” e “O que faço hoje para jantar?”) explica como se faz: “Nunca desperdiço comida. Tudo é aproveitado para uma refeição. Por exemplo: cá em casa somos apenas duas pessoas, por isso quando faço carne assada fico com carne para várias refeições. Mas em vez de estar três dias a comer o mesmo prato, pico a carne e dali posso fazer croquetes, um empadão ou uma lasanha. Ou seja, o mesmo prato serve para confecionar uma infinidade de refeições. E como a carne já está cozinhada, perdemos menos tempo a fazer os restantes pratos”, explica Joana Roque. Com o pão é igual. “O pão pode estar rijo, mas aproveito-o para fazer pão ralado, ou uma açorda ou ainda um pudim de pão”.

3. Opte pela comida de um tacho só

Imagine que tem apenas três febras em casa para alimentar quatro pessoas. Se as cozinhasse de forma individual não dava para todos. Mas se optar por partir aos bocadinhos as febras para fazer um arroz de carne e juntar-lhe cenoura e outros legumes, fica com uma refeição que dá para as quatro pessoas. “Possivelmente ainda sobrará comida para levar no dia seguinte para o trabalho numa marmita”, afirma a escritora e blogger.

4. Leve marmita para o trabalho

O ritual de levar a marmita para o trabalho regressou aos hábitos dos portugueses. Tal não significa que tenha de eliminar por completo as refeições fora, mas se optar por levar as suas próprias refeições para o seu local de trabalho duas ou três vezes por semana, verá a diferença ao final do mês na sua carteira. Ao mesmo tempo esta é também uma forma de controlar a sua boa forma já que não cairá tão facilmente na tentação de comer petiscos ou guloseimas.

5. Evite as refeições pré-congeladas

Muitas vezes, as pessoas compram estas refeições pré-congeladas porque estas permitem poupar tempo. Mas a blogger e autora de livros de culinária Joana Roque diz que não há razão para tal: se as pessoas planificarem as suas ementas podem, por exemplo, fazer comida a mais e congelar, para desta forma ter sempre comida praticamente pronta a comer e não ter de ceder à tentação de comprar comida pré-congelada.

6. Opte por comprar fruta e legumes da época

Na sua alimentação e confeção de refeições privilegie as frutas e os legumes da época, pois estará a poupar alguns euros. Além disso estes produtos são, em regra, mais saborosos nestas alturas do que quando consumidos fora da sua época típica. Para rentabilizar a fruta da época poderá, por exemplo, confecionar compotas para o ano inteiro e que poderão funcionar também como um presente para oferecer a familiares e amigos.

7. Cuidado com as promoções

As promoções podem ser muito amigas da sua carteira. Mas tal não significa que tenha de aderir e aproveitar todas as promoções que apareçam no supermercado. Muitas vezes as pessoas entusiasmam-se com os valores dos descontos e acabam por comprar mais do que deviam e precisavam.

8. Leia e pesquise sobre o tema

Se lhe falta imaginação sobre como pode fazer refeições para a sua família sem gastar muito dinheiro consulte a internet. Existem muitos blogues de culinária, portugueses e estrangeiros, que se mostram sensíveis aos efeitos da crise e ensinam a confecionar refeições para toda a família por poucos euros. Um dos blogues estrangeiros que tem ganho maior relevância é o seguinte: http://agirlcalledjack.com/ . Neste blogue, a britânica Jack Monroe explica como consegue preparar refeições para ela e para o filho gastando apenas 10 libras por semana (o equivalente a 11,6 euros). Em Portugal, também abundam os blogues onde é possível consultar algumas dicas de poupança na cozinha. Por exemplo: http://economiacadecasa.blogspot.pt/ ou o http://www.cincoquartosdelaranja.com/.

artigo do parceiro:

Comentários