O seu chefe não o valoriza?

Sente-se desmotivado? Não fique à espera de reconhecimento! Maggie João, executive coach, diz o que fazer quando nos apetece baixar os braços.

Stressful entrepreneur sitting in the office chair with a laptop on the table and holding his head

São várias as razões que podem contribuir para uma quebra na produtividade e para uma redução da vontade de trabalhar, nomeadamente, a falta de desafio, de autonomia, de responsabilidade e de reconhecimento, seja pecuniário, individualmente ou em grupo. «A capacidade de automotivação é algo interno à pessoa. Mas, se ao fim de algum tempo não lhe for reconhecido o esforço, pode reduzir a dose de motivação que coloca no que faz», explica Maggie João, executive coach.

Os sinais de alerta

São vários os fatores que devem exigir a sua atenção:

- Falta de iniciativa

- Procrastinação

- Desresponsabilização

- Linguagem corporal desadequada

- Postura desleixada

- Chegar atrasado a reuniões e falta de atenção nas mesmas

- Incumprimento de datas de entrega de projetos

- Respostas menos adequadas

- Atitude displicente

Os sintomas descritos acima são-lhe familiares? É provável que esteja desmotivado ou que conheça alguém que esteja. «Uma liderança proativa, facilmente deteta situações de desmotivação logo de início e atua no sentido de as resolver», informa a executive coach Maggie João. Veja também a galeria de imagens com looks femininos para triunfar no local de trabalho.

Os efeitos da automotivação

As empresas beneficiam grandemente da iniciativa e otimismo dos seus colaboradores, pois são facetas que se traduzem num melhor desempenho, num aumento da produtividade e na obtenção de melhores resultados. Maggie João confirma. «A automotivação tem um efeito muito poderoso», acredita mesmo a especialista.

Veja na página seguinte: O que fazer para ter a motivação sempre em cima

Comentários