Investir em ouro: moda ou oportunidade

Os últimos anos foram marcantes na expansão do negócio do ouro

Desde o ano de 1988, os bancos centrais davam como prioridade a venda dos ativos líquidos deste metal precioso. Já que as suas respetivas moedas não eram convertíveis em ouro, essa política fazia todo o sentido. Porquê manter um ativo físico em que o seu armazenamento é dispendioso, acarreta muito trabalho e há pouca ou nenhuma probabilidade de que ele venha a ser preciso? É preferível manter um ativo que possa render juros (e que seja mais facilmente armazenado), como uma OT (Obrigações do Tesouro), o qual permite obter lucro durante um determina-do período. Não se esqueçam que os bancos centrais também visam o lucro nas suas operações.

Segundo o World Gold Council, nos últimos anos ocorreu uma mudança drástica na política dos bancos centrais: começaram a comprar ouro! Em 2012, a compra de ouro chegou a superar mais do dobro da quantidade comprada durante o ano de 2010. Pela primeira vez em 20 anos, os bancos centrais de todo o mundo estão a comprar mais ouro do que a vender, invertendo assim a tendência que se verificava há décadas.

A compra de ouro pelos bancos centrais representa uma reação completamente racional à luz das políticas governamentais. Com a solvência de alguns grandes governos a serem diariamente questionadas, tanto os investidores como os bancos centrais já estão a questionar-se sobre o valor das OT desses países, que estão nas suas carteiras de investimentos. A Grécia afirmou recentemente que iria reduzir em 50% o valor contabilístico da sua dívida que está em mão de privados. Quem garante que o mesmo não pode acontecer para os títulos de outros governos e outras organizações? A solvência de uma crescente lista de países - Irlanda, Portugal, Itália, Espanha - vai sendo repetidamente questionada todas as semanas, e nem mesmo os Estados Unidos estão imunes a essa possibilidade, como bem ilustra a sua própria crise da dívida. Adquirir ouro e mantê-lo nos seus ativos não elimina a possibilidade de haver património líquido negativo para um banco central. No entanto, dado os recentes eventos, ele torna-se indubitavelmente numa opção bem atrativa. À medida que os países vão demonstrando toda a sua dificuldade em colocar as suas dívidas e os seus défices em ordem, o valor real dos títulos da sua dívida também se torna questionável.

Chipre baixa cotação

Embora a posse de ativos reais não traga grandes benefícios para um banco central, ela age como uma espécie de apólice de seguro. Para um banco central preocupado com o valor dos seus ativos, uma diversificação que inclua o ouro representa uma alternativa bem racional.

Então porque é que a cotação do ouro teve uma queda considerável nas últimas semanas?

Podemos apontar o Chipre como um dos responsáveis pela queda abrupta da sua cotação, isto devido ao anúncio da possível utilização das reservas de ouro do país para a liquidação de parte da sua dívida externa. Este anúncio levou à quebra do suporto de meses e à verificação do efeito de “manada”, com os fundos de Investimento a liquidarem as suas posições em grande escala.

Em conjunto com este fator, os fracos dados económicos de diversas economias mundiais, tais como nos Estados Unidos e a China, influenciaram igualmente a cotação do ouro.

O que fazer agora?
A reação mais usual é sair do investimento quando a sua cotação está em queda. Sabemos também que a maioria das pessoas não entende o porquê dos acontecimentos nas economias e, como consequência, tomam decisões erradas quanto ao que fazer com o seu dinheiro. Vamos, por uma vez, ser diferentes e fazer ao contrário da maioria. Vamos analisar se esta é, uma boa altura para investir em ouro.

Será bom aproveitar a queda de cerca de 20% das últimas semanas? Será que devemos investir todas as nossas poupanças agora? Será que devemos investir somente parte dessas poupanças e guardar outra parte para comprar mais, depois de possíveis quedas? Pense nisso, veja o investimento no ouro como uma estratégia de longo prazo e tire as suas conclusões.

Para ajudá-lo a tomar as suas decisões, deixo-vos algumas vantagens do investimento em ouro.

Investimento com liquidez

O ouro é a única moeda que está isenta de controlo governamental, ou seja, não tem influência negativa no seu valor final.

A emissão de triliões de unidades de moedas soberanas (excesso de liquidez global) está a criar uma desvalorização do valor real do papel-moeda de alguns países. O ouro nunca perde valor. Mesmo sujo ou com largos anos, continua a preservar o seu valor em dinheiro. (obviamente não está isento de oscilações).

O ouro faz parte dos refúgios para os investidores em cenários de crise económica. quando as ações e títulos falham em épocas de tensão e instabilidade, o ouro demonstrou sempre melhor desempenho.

O ouro é um investimento com liquidez, ao contrário, por exemplo, do imobiliário. é simultaneamente um ativo e uma moeda de troca. Existem poucos investimentos que podem ser convertidos tão facilmente e rapidamente em moeda sem sofrer qualquer penalização, sem tempos de espera e sem condições adicionais.

Por último, este tipo de investimento não paga imposto, ao contrário das ações. Por isso é mais fácil de se comprar ou de se desfazer dele rapidamente. Investir no ouro ajuda-o a preservar a sua riqueza.

Permite diversificar as carteiras de investimento, diluindo o risco das desvalorizações nos mercados, por exemplo, bolsita. Serve de hedging contra a desvalorização da moeda de cada país.

Onde comprar ouro?

Existem diversas fontes de compra de ouro. A mais usual são os bancos. No entanto, com a explosão das lojas de ouro, estas tornaram-se um local ideal para fazer este tipo de negócio. faça as suas consultas em diversos locais antes de efetuar a sua compra. Consulte a cotação do grama antes de fazer essas consultas. Ir informado permitirá estar mais atento sobre qual será a melhor oferta.

As compras online são cada vez mais frequentes neste tipo de produto, no entanto esteja muito atento e verifique se a fonte é fidedigna e com histórico de sucesso.

Posso comprar ETF (Exchange Trade Fund)?

O investimento através de ETF é outro produto derivado e alavancado, é pura especulação. Este tipo de especulação implica um risco muito maior devido à sua grande volatilidade. Mas é claro que cada investidor é livre de fazer o que deseja com o seu dinheiro. Com toda esta informação, irá certamente começar a ver de uma forma diferente as joias que a sua avó lhe deixou…

Não se desfaça delas. poderão ser-lhe muito úteis numa situação de grave crise no futuro e considerando a baixa da cotação recente, o potencial de ganhos a médio e longo prazo é interessante.

«…ESTE TIPO DE INVESTIMENTO NÃO PAGA IMPOSTO AO CONTRÁRIO DAS AÇÕES…»

«…O OURO FAZ PARTE DOS REFÚGIOS PARA OS INVESTIDORES EM CENÁRIOS DE CRISE ECONÓMICA…»

Pedro da Silva

Coach

www.geniofinanceiro.com

Revista Insights

artigo do parceiro:

Comentários