Há vida para além do trabalho

Pode não ser muita mas existe. Falámos com mulheres de carreira que não abrem mão daquilo que mais gostam de fazer… Antes ou depois do trabalho!

Teresinha Dias, 33 anos, consultora de marketing na Fullsix, faz kickboxing e quando não está a dar pontapés vai rodando entre o zumba e o basquetebol. Sempre com amigas porque «tudo o que é bom tem de ser partilhado», considera. «Comecei por fazer zumba e fiquei viciada. Fazia quatro ou cinco vezes por semana. Depois, veio o basquetebol, que vou intercalando com o zumba e, agora, kickboxing. Um desporto que, além da parte física, tem uma parte divertida que é a de dar pontapés e murros à vontade. Na verdade, os meus dias são a correria total!», considera.

«Vivo na Chinatown de Portugal, ou seja, nos Anjos, em Lisboa. Trabalho em Oeiras e, de manhã, chego sempre atrasada. Acho que já faz parte do meu ADN. É algo que encaro de forma divertida porque, para quem não me conhece, estou sempre com um sorriso na cara. Como a minha profissão é intensa em horários, nos primeiros anos acabei por não conseguir ter espaço para fazer outras coisas. Mas, à medida que fui aprendendo a gerir o dia a dia, comecei a incluir o desporto nas minhas rotinas diárias e a fazer o que gosto», explica.

«Não pode ser algo visto como uma obrigação ou para emagrecer. Os treinos de kickboxing são combinados com o meu treinador Pedro Kol, mais conhecido por Kolmachine. Às vezes, as aulas são ao final do dia quando são outdoor, outras vezes logo às 08h00 no ginásio The Studio. Começar o dia a dar pontapés faz maravilhas! Com o basquetebol é mais tranquilo porque treino perto de casa, vou a pé. As aulas são entre as 21h00 e as 23h00. Chego a casa toda partida porque normalmente é depois de uma aula de zumba, que faço agora apenas uma vez por semana», refere.

«Faço tudo com a minha irmã Mariana, quatro anos mais nova que eu. Sozinha, nada tem piada. É importantíssimo estar rodeada de pessoas que adoro e que me adorem. As coisas têm muito mais graça quando partilhadas com alguém. Como quero sempre fazer tudo e estar com toda a gente, os meus dias são sempre uma correria, mas uma correria feliz! É raro dizer que não a um programa, seja ele jantar, almoço, ao dia de semana ou ao fim de semana. E gostava de ter mais tempo para poder fazer ainda mais coisas», afirma ainda.

«Acho que sou mesmo uma pessoa 100% feliz, fora e no trabalho. Procuro fazer aquilo que me faz feliz… Estar com o meu marido, o meu cão, a minha família e os amigos e, acima de tudo, fazer sempre tudo a rir. Melhor do que isto só mesmo se o Gu, o meu leão da Rodésia, andasse comigo para todo o lado, aí seria perfeito! Tenho de passar a levá-lo aos treinos!», graceja mesmo Teresinha Dias.

Há vida além do trabalho

Veja na página seguinte: Os momentos de escape de uma mulher que não gosta de estar parada

Comentários