Em momentos de tempestade…

Vimos nos últimos meses o resultado dos problemas de endividamento da Grécia, tanto na Europa como também na vida de todos os gregos. Com tanta dívida viram-se gregos para pagar as prestações e tornou-se necessário uma intervenção externa. Podemos dizer mesmo que se vivem momentos de tempestade…

É nos momentos de tempestade que temos de aguçar o engenho. É nesta altura que temos de nos focar no essencial para poder passar pela chuva procurando molhar-nos o mínimo possível. Neste contexto, salientamos algumas estratégias que poderão ajudá-lo a poupar algum dinheiro todos os meses.

Atuação preventiva

Gostamos da adrenalina da incerteza mas queixamo-nos dos problemas da falta de planeamento. Isso é verdadeiro enquanto país e enquanto famílias. Na prática, um dos grandes motivadores da crise que atravessamos foi a falta de planeamento. Assim, em momentos de tempestade temos de planear o futuro. Fazer o nosso orçamento familiar e deixar uma almofada financeira para incertezas.

Muitos problemas financeiros surgem porque não temos €50

Pode não acreditar mas muitos problemas financeiros dos pacientes do Dr. Finanças tiveram a sua origem na falta de uma poupança, por mais reduzida que seja. Ditam as regras de uma boa gestão financeira que devemos procurar acautelar o futuro constituindo um fundo para emergências. E este fundo não precisa de ter uma fortuna. Apenas o necessário para fazer face a despesas inesperadas, como uma ida ao dentista ou o arranjo do automóvel. Claro que o ideal será juntar mais dinheiro em contas poupança. Mas não vale a pena tentar começar a construir a casa pelo teto.

Foque-se no essencial

As melhores coisas da vida não têm um custo. Têm muito valor mas não têm preço. Não é verdade? Olhe para a sua vida e procure listar as coisas que têm um valor que não muda facilmente… passar tempo com os filhos, uma tarde bem passada com os amigos, uma ida á praia num dia de bom tempo. E já reparou que estas ocupações não têm um custo associado?

Conhece a poupança molha tolos?

Certamente que conhece a expressão “Chuva Molha Tolos”. Na prática, pensamos que a chuva miudinha não nos irá molhar e acabamos por andar durante vários minutos e acabamos todos encharcados… com a poupança pode acontecer o mesmo. Aliás, muitas pessoas utilizam os “migalheiros” onde vão depositando as “migalhas” que têm perdidas na carteira. Ao final de alguns meses acabam por acumular muito dinheiro sem grande esforço…

Sabe qual o melhor banco para si?

O Dr. Finanças estudou alguns dos principais bancos em Portugal e analisou a sua estrutura de comissões… e tirou algumas conclusões interessantes. Tenha em atenção que os bancos irão ser tentados a aumentar as comissões que lhe cobram, pelo que tem de atacar de frente o problema e escolher o banco mais barato para o seu dinheiro.

E quais são as suas estratégias de poupança para os dias de tempestade?

artigo do parceiro:

Comentários