Duas irmãs apaixonadas pela educação

Maria João e Alexandra Cardoso são responsáveis pelo Colégio Luso-Suíço

São responsáveis pelo Colégio Luso-Suíço há mais de duas décadas e não podem estar mais felizes. Maria João e Alexandra Cardoso licenciaram-se em Direito e Marketing e Publicidade, respetivamente, mas dedicam toda a sua vida, disponibilidade e conhecimento a fazer da escola que herdaram dos pais uma referência de qualidade. 

Este colégio tem 65 anos de existência. Como é que esta escola lhes vem parar às mãos?

Esta escola era de uma senhora polaca que tinha estudado na Suiça, e, quando veio morar para Lisboa, decidiu abrir o primeiro jardim-de-infância a funcionar exclusivamente com esta valência, em Portugal

Ocupou sempre as mesmas instalações?

Não. Começou em Campo de Ourique, depois foi para as Amoreiras e só mais tarde é que mudou para a Rua de Santo Amaro à Estrela, onde ainda está hoje. Foi a fundadora que há cerca de 30 anos vendeu o colégio ao nosso pai.

E assim lhes veio parar às mãos...

Nessa altura o nosso pai tinha outras atividades e, como não tinha tempo para tomar conta do colégio, desafiou-me a mim, que sou a filha mais velha, e tinha acabado o curso de Direito, a assumir essa responsabilidade.

Foi o seu primeiro e único trabalho?

É verdade, e nem sequer me imagino a fazer mais nada. O Direito, apesar de ter feito o estágio e de me ter inscrito na ordem, ficou completamente para trás. Entretanto o colégio começou a crescer e, cerca de oito anos depois, entra a minha irmã.

Que estudou o quê?

Tirei o curso de Marketing e Publicidade, fiz um estágio numa agência de publicidade e depois fui trabalhar como account para uma empresa de design, mas o stresse era tanto que também aceitei o convite do meu pai para vir tomar conta do colégio.

O Colégio Luso-Suíço tem muitas crianças?

É uma escola absolutamente familiar que tem várias valências: creche, pré escolar e primeiro ciclo. 

O que distingue esta escolar é o ensino do inglês e do alemão desde o pré- escolar?

A partir dos três anos têm uma língua, inglês ou alemão, a partir do 1ºciclo têm as duas línguas obrigatoriamente.

O colégio só tem uma turma de cada ano?

Sim, por isso é um colégio tão familiar ao ponto de conhecermos todos os alunos pelo nome, incluindo os pais, e, às vezes, até os tios e os avós. Passamos o dia inteiro no colégio, pelo que os pais podem falar connosco a qualquer hora. A equipa está sempre disponível e essa é a grande vantagem de um colégio pequeno, porque as crianças mais pequenas não arranjam dia nem hora para ter as suas birras e os seus problemas.

Tem crianças a partir de que idade?

A partir de um ano. Assim que começam a andar podem frequentar o colégio. Até já tivemos uma criança com nove meses…

Ambas têm filhos?

Sim, temos um casal de filhos cada uma e os nossos filhos andaram todos no colégio. Aliás, o meu filho mais novo, ainda anda. (Maria João tem dois filhos com 19 e 17 anos, e Alexandra com 11 e 9 anos)

O Colégio está a adotar uma nova estratégia para fazer face à crise?

É verdade. Numa altura destas, o que as famílias mais precisam é de apoio. Por isso decidimos baixar os preços para os pais não terem de tirar as crianças do colégio para as colocar nas escolas oficiais. A maioria não gostaria de o fazer, mas infelizmente não conseguem pagar.

A campanha já entrou em vigor?

Vai entrar a partir do próximo ano letivo, em que ensino, almoço, lanche e atividades, é tudo 395€. Isto é um esforço enorme para a escola, mas se partilharmos os esforços, podemos viver todos melhor. O nosso ensino inclui educação física, duas vezes por semana, música e coro, uma vez por semana, e o ensino do inglês e do alemão. 

Têm um horário alargado para facilitar a vida dos pais?

Temos a enorme vantagem de só fecharmos em agosto. E, se calhar, nem em agosto, estamos a equacionar tudo! Até em receber os alunos dos outros colégios que fecham nas férias. Nestas férias da Páscoa vamos ter um plano que inclui atividades todos os dias feitas por professores nossos e por uma artista plástica que vem dar workshops às nossas crianças para as estimular para outras coisas, e também vamos ter uma professora de dança.

Não têm atividades extra-curriculares?

Sim temos, capoeira, ballet, natação, piano e informática. Paralelamente a isto vamos optar por fazer workshops pontuais para as crianças com menos recursos financeiros  não se sentirem excluídas.

Quantas crianças têm as vossas turmas?

O máximo que nós admitimos é 20 crianças. A partir daí as coisas deixam de funcionar bem. A prova de que os nossos alunos vão bem preparados é que todos, sem exceção, passam no teste de admissão à Escola Alemã  e noutras escolas onde também são exigidos testes de admissão.

O que tem sido mais gratificante nesta experiência?

Primeiro vê-los crescer, e, depois, vê-los voltar. Sensibilizou-nos profundamente ouvir o filho do realizador João Botelho, o António, que foi nosso aluno, dizer-nos que estava a fazer um curso de cinema em Nova Iorque e queria fazer uma curta-metragem no local onde foi mais feliz.

Desde que começaram a tomar conta do colégio, já têm ex-alunos com filhos no colégio?

Temos alguns, apesar de os jovens casais terem filhos cada vez mais tarde. E, curiosamente, temos muitos filhos únicos. Só temos duas famílias com três filhos. Já por aqui passaram crianças de pais famosos, nomeadamente, de José Sócrates, Helena Roseta, João Pedro Pais, Rodrigo Leão, Sofia Sá da Bandeira, entre outros.

É uma escola de portas abertas?

Absolutamente. Já tivemos pais que iam à nossa cozinha “roubar” croquetes e alguns pais gostam de assistir às aulas.

Esperam que os vossos filhos sejam os vossos continuadores?

Ainda é muito cedo, mas esperamos que sim!

artigo do parceiro: Palmira Correia

Comentários