Depósitos a prazo – Como escolher o meu?

Os depósitos a prazo são provavelmente o produto de aforro mais conhecido e utilizado pelos portugueses, ainda mais do que os certificados de aforro

Na prática, somos um povo conservador, que não gosta de assumir riscos no campo financeiro. Maioria das vezes queremos produtos com capital garantido, mesmo que para tal tenhamos de nos contentar com taxas de retorno muito reduzidas.

Se o que pretende é um depósito a prazo, deixamos-lhe algumas ideias para o ajudar na sua decisão. Como em qualquer situação negocial, as palavras de ordem são informação e negociação. Informação no que toca a conhecer toda a oferta de mercado e suas características. Negociação quando estamos no momento de contratar e temos de fazer tudo para aumentar a taxa de retorno.

O que são depósitos a prazo?

Depósitos a prazo são contratos de dívida, que unem o banco (devedor) e os seus clientes (credor). O cliente empresta dinheiro ao banco definindo um prazo e uma taxa de juro do empréstimo. De notar, no entanto, que estamos a falar de dívida (caso em que é o cliente o “banco” do seu banco).

Quais os fatores a ter em conta?

Os depósitos a prazo têm características distintas entre si, nomeadamente no que toca ao seguinte:

Montante a investir – O montante a investir é definido pelo cliente, sendo que por norma existe um montante mínimo de depósito que varia de banco para banco – tipicamente é €500 mas pode ser menos.

Prazo – Por quanto tempo irá manter o seu dinheiro investido? Quanto maior o prazo maior será a taxa de juro que receberá. Contudo, poderão existir penalizações caso pretenda levantar o seu dinheiro mais cedo.

Forma de pagamento de juros – Tipicamente, os juros são pagos no final do contrato. No entanto, existem produtos que efetuam o pagamento dos juros no início (mais por uma questão de marketing do que por outro motivo).

O que é a TANB?

TANB são as siglas para Taxa Anual Nominal Bruta, mais não sendo do que a remuneração efetiva de um investimento antes do pagamento de impostos. A esta taxa terá de retirar a taxa de imposto (atualmente em 28% e que lhe é retido na fonte) para obter a taxa líquida de impostos.

Tenho custos?

A contratação de depósito a prazo não tem qualquer custo associado diretamente. No entanto, para poder fazer depósitos a prazo terá de ter uma conta aberta em determinado banco. Deste modo, deverá ter em consideração as comissões de manutenção de conta (atualmente os bancos estão tentados a aumentar a comissões, pelo que sugerimos muita cautela).

Quais os riscos?

Um depósito a prazo é um produto de aforro que tem uma Ficha de Informação Normalizada (FIN) que sumaria todas as suas características. Deste modo, sugerimos que analise a FIN de modo a garantir que o produto é de acordo com as suas necessidades.

Uma segunda ideia de grande relevo. Todos os depósitos a prazo são abrangidos pelo Fundo de Garantia de Depósitos. Este fundo garante o pagamento do capital e dos juros em caso de falência do banco (com limites), sendo uma forma para mitigar o risco dos aforradores.

Assim, para mitigar o risco tem de garantir que a FIN refere claramente que está a contratar um depósito a prazo. Caso contrário, poderá vir a ter uma má experiência como a vivenciada por alguns portugueses num passado não muito longínquo.

João Morais Barbosa

artigo do parceiro:

Comentários