Como fazer um orçamento de casamento

Vestido, festa, adornos, fotografia ou entretenimento. Saiba como fazer um orçamento para o casamento e mantê-lo

Vestido, festa, adornos, fotografia, entretenimento. São muitos os pormenores relacionados com a organização de um casamento e que podem encarecer a conta final a pagar. Segundo um estudo da Exponoivos, de 2014, uma festa de casamento com cem convidados custa, em média, 26 mil euros. Se muitos noivos não olham a despesas para realizar a boda com que sempre sonharam, para outros, este é um preço demasiado elevado a pagar por uma festa que dura um dia. Leia o texto: 10 dicas para organizar um casamento com quatro mil euros

Através da internet planear, organizar e comparar preços para um casamento é hoje uma tarefa bem mais simples do que há uns anos. Existem inúmeros sites que disponibilizam os seus serviços para ajudar no planeamento do casamento e múltiplas ofertas que permitem amortizar os gastos no dia especial. Por exemplo, pode encontrar na internet ‘sites’ onde comprar um vestido de noiva em segunda mão ou num outlet de noivas, poupando algum dinheiro no seu vestido de noiva. Leia o texto: Faça você mesmo: Quatro redes sociais onde pode tirar ideias

Seja qual for o valor que pode gastar no casamento, deve sempre fazer um orçamento para controlar as despesas e não comprometer as finanças da família, que ainda agora vai começar. Conheça cinco conselhos para fazer um orçamento de casamento e mantê-lo.


1.
 Definir a dimensão da festa

Agora que estão noivos é importante definir alguns aspetos, como por exemplo: a data e a dimensão do casamento. Vai ser uma festa pequena, para família e amigos mais chegados, ou uma festa maior, que inclui todas as pessoas nas vossas vidas? Será no local onde vivem ou implica deslocação e alojamento? Leia o texto: Dicas para um casamento económico

O casal deve estabelecer estes aspetos o quanto antes, porque será a base para estipular o limite máximo que pretendem gastar para a organização do casamento. De seguida, decidam como pretendem pagar o casamento: têm poupanças, vão começar a fazer um pé-de-meia, podem contar com a ajuda de alguém? Podem também aproveitar para discutir as questões financeiras no casamento, uma vez que o dinheiro é uma questão emocional e pode afetar o relacionamento. Leia o texto: Contas conjuntas ou separadas?


2. Estabelecer quem paga o quê

Manda a tradição que os gastos do casamento sejam arcados pelos principais intervenientes da festa: os noivos, os pais dos noivos e padrinhos. Assim, a madrinha da noiva deve pagar o vestido de casamento, a família da noiva oferece o copo-de-água, a família do noivo arca com os custos da documentação, ramo da noiva e anel de noivado. A noiva deve pagar os vestidos das damas de honor, a roupa dos meninos das alianças e as lembranças de casamento. Ao noivo, cabe pagar as alianças, que muitas vezes acaba por ser o padrinho a pagar.

No entanto, em tempos de crise económica, muitos noivos optam por ser os próprios a arcar com a maior parte das despesas. O importante é que haja uma conversa com todos os intervenientes, nomeadamente os pais dos noivos, para estabelecer quem paga o quê. Os familiares de ambos os lados podem dizer que contribuem com determinada quantia para a organização da festa, oferecerem-se para pagar determinado item, como o vestido da noiva ou as alianças, por exemplo, ou então dizerem que não têm possibilidades económicas para ajudar. O casal terá, então, de definir como é que vai pagar a festa. Leia o texto: Seis fases da vida que pedem boas finanças


3. Estipular o orçamento

Uma vez tendo decidido a dimensão da festa e a ajuda que podem ter, é altura do casal definir quanto é que podem gastar. O valor total deve incluir tudo, desde o vestido, fato do noivo, copo-de-água, fotografias, entretenimento, decoração, presentes e até a lua de mel.  Depois, deverão estabelecer a percentagem que vão gastar em cada um dos componentes do orçamento, por exemplo: 40% no copo-de-água, 20% na roupa e acessórios dos noivos, 15% em decoração, entretenimento e fotografias, 10% para brindes e despesas inesperadas e 15% na lua de mel. Faça as contas: Quanto tem de poupar para chegar a milionário?

Neste ponto é importante que ajuste o orçamento em função das suas prioridades, como por exemplo: preferem gastar mais na reportagem fotográfica e não se importam de ter um vestido de noiva menos caro? Preferem convidar menos pessoas e oferecer um serviço de ‘catering’ de primeira qualidade? O orçamento pode ser ajustado em função das prioridades do casal, mas não devem desviar-se dos números estabelecidos. Leia o Guia para fazer o seu orçamento


4. Escolher o destino de lua-de-mel

Para muitos noivos, a lua-de-mel é um dos momentos mais importantes do casamento. É a oportunidade de fazer a primeira viagem enquanto casados e aproveitar o momento de felicidade. O ideal é que este gasto já esteja contemplado no orçamento que fez, porém, para conseguir poupar na viagem existem alguns truques aos quais podem recorrer. Leia o texto: 10 sites para planear férias perfeitas e baratas

Se pretendem fazer a lua-de-mel logo a seguir ao casamento, é importante marcarem com bastante antecedência, para conseguirem os melhores preços para essa data. Sejam incansáveis na pesquisa e comparem preços, até encontrarem a combinação ideal entre destino e preço. Leia o texto: Cinco sites para poupar dinheiro com o hotel


5. Manter o controlo

Esta é das partes mais importantes do orçamento de casamento. Cumprir o orçamento estabelecido pode ser uma verdadeira aventura, à medida que os noivos fazem pesquisas e são confrontados com as tentações. Por isso, é muito importante saberem exatamente quanto é gastaram em cada compra. Os noivos devem anotar tudo numa folha de Excel ou então descarregar aplicações que ajudem a “rastear o orçamento” de casamento, como por exemplo a casamento.pt, que é gratuito e está disponivel para dispositivos Aple e Android. Leia o texto: Quatro sinais que não está a gerir bem o seu dinheiro

Se perceberem que estão acima do orçamento previsto inicialmente será altura para reavaliar e deciderem onde é que podem cortar. Não vale a pena comprometer a estabilidade financeira quando estão a começar uma vida em conjunto. Leia o texto: O que dizem os astros sobre a forma como lida com o dinheiro?

Leia também:

Casais: Como gerem o dinheiro

10 sites para gerir melhor as suas despesas

Saiba como as emoções podem arruinar as suas poupanças

Como usar corretamente os cupões de desconto

Internet no telemóvel: Como poupar na fatura

artigo do parceiro:

Comentários