Cinco dicas ‘low cost’ para aproveitar a primavera

Conheça algumas dicas frugais para aproveitar tudo o que a primavera tem de bom, sem gastar muito dinheiro.

Finalmente chegou a Primavera: os dias já começaram a ficar maiores, o sol dá ares de sua graça e o calor tem vindo a instalar-se. Depois de um inverno rigoroso, com muitos fins de semana passados no quente do lar com uma manta por cima das pernas, começa a apetecer sair e aproveitar o ar livre.

Ainda é muito cedo para pensar na praia, mas existem algumas atividades que pode fazer sem gastar muito dinheiro. Conheça algumas dicas frugais para aproveitar tudo o que a primavera tem de bom, sem gastar muito dinheiro.

1. Aposte num piquenique em família
É uma das atividades mais divertidas e baratas que se pode fazer em família. É uma ótima forma de levar toda a família para atividades fora de portas, apanhar ar fresco e aproveitarem uma refeição juntos sem ser num restaurante caro.

Assim, prepare alguns ‘snacks’ (daqueles que não trabalho nenhum a confecionar), fruta cortada aos pedaços, sanduiches, saladas e umas bolachas para sobremesa. Se não sabe onde poderá fazer piqueniques, basta fazer uma pesquisa na internet e encontrará várias sugestões na sua zona de residência.

2. Recorra à internet para encontrar as “borlas”
Em tempos difíceis, há sempre atividades que pode fazer de forma gratuita. Se não sabe por onde começar a procurar, damos-lhe algumas ideias. Existem vários sites ou blogues, como o Cultura Grátis 365, o Entrada Livre ou o Cultura de Borla, onde poderá ter acesso a eventos culturais de forma gratuita. 


Também existem algumas páginas no Facebook, como a Agenda Cultural dos Tesos, o Cultura grátis em Lisboa ou o Cultura grátis no Porto, em que poderá ter acesso a exposições, sessões de cinema e espetáculos cuja entrada é gratuita.

3. Faça uma caminhada
Não há nada mais saudável e prático do que uma caminhada: não é preciso nenhuma habilidade, é gratuita, pode ser feita a qualquer hora e em qualquer dia por pessoas de qualquer idade. Além disso: traz bastantes benefícios para a saúde, já que as caminhadas são conhecidas por melhorarem a circulação, os pulmões, darem uma sensação de bem-estar e ainda ajuda a manter a boa forma.

É também uma excelente atividade em família, que junta algumas das melhores coisas para as crianças: Tempo com os pais, atividades ao ar livre, contato com a natureza e espirito de equipa. O site “estrelas e ouriços” reuniu alguns dos melhores parques de norte a sul do país. Veja a lista aqui.

4. Experimente o ‘geochaching’
Quem já experimentou ficou viciado. Se nunca ouviu falar do ‘geocaching, saiba que é uma atividade realizada por milhões de pessoas em todo o mundo. Basicamente trata-se de uma caça ao tesouro ao ar livre, onde os praticantes não procuram nenhuma fortuna escondida, mas sim pequenos recipientes, chamados ‘geocaches’, utilizando recetores GPS e que depois partilham numa espécie de rede social apenas utilizada pelos praticantes.

Para além de estimular o exercício físico, pois muitas vezes os percursos para alcançar os ‘caches’ são longos e difíceis, o ‘geocaching’ é uma forma divertida de conhecer melhor as cidades e saber a sua história. Saiba mais no site.

5. Comece uma horta
E porque não começar uma horta com a sua família? O tamanho da horta vai depender do espaço que tem, mas esta é uma atividade com muitos benefícios, como por exemplo: Ensinar os seus filhos de onde vem a comida, como crescem as plantas e como poupar dinheiro em comida.

Se não tem um pedaço de terra onde possa fazer uma pequena horta existem as hortas urbanas, que são pequenos lotes de terrenos alugados a particulares para a cultura de legumes, frutos ou flores em áreas urbanas. Informe-se junto da camara municipal da sua área de residência.

Leia também os seguintes artigos relacionados com o mesmo tema:
O dinheiro traz ou não felicidade?

Glamping: Como acampar com 'glamour'?
Cinco dicas 'low cost' para atividades de lazer
Faça exercício sem gastar muito dinheiro
10 sites para planear férias baratas e perfeitas 

artigo do parceiro:

Comentários