8 Dicas para poupar na fatura da eletricidade

No dia em que se celebra o Dia Mundial da Energia saiba como poupar uns euros na fatura da eletricidade.

O aumento do preço da eletricidade – em janeiro o preço da eletricidade subiu 2,8% para os consumidores do mercado regulado - tem levado muitas famílias a olharem para a conta da energia com outros olhos. Cada agregado familiar tem necessidades diferentes, no entanto há pequenos gestos que fazem toda a diferença na conta mensal e na fatura do planeta Terra. No dia em que se celebra o Dia Mundial da Energia, conheça algumas dicas que podem ajudar a poupar uns euros, ao mesmo tempo que adota consumos sustentáveis, ajudando não só o planeta, mas também a sua carteira.

1. Opte por eletrodomésticos eficientes
Sabia que um equipamento de classe G pode consumir três vezes mais do que um de classe A? Ao adquirir um eletrodoméstico novo, tenha em consideração os custos dos consumos energéticos. Para poupar dinheiro, opte por equipamentos elétricos eficientes (classe A, A+ ou A++) que vão ajudá-lo a reduzir consumos. Estes são fáceis de identificar devido à etiqueta energética.

2. Troque de lâmpadas
Substitua as lâmpadas incandescentes por lâmpadas economizadoras (fluorescentes compactas) ou de baixo consumo. Apesar de serem mais caras, consomem seis vezes menos energia, duram oito vezes mais do que as outras e dão a mesma luz, o que significa que têm uma vida útil superior. Isto permite poupar dinheiro e energia

3. Reveja a potência contratada
Não pague mais do que o necessário. Se tiver contratado uma potência superior às suas necessidades, poderá ter uma fatura desnecessariamente elevada. Faça simulações junto das empresas comercializadoras de energia ou, se for associado da Deco, utilize a calculadora que disponibilizam no site. Tenha em consideração o número e tipo de equipamentos que tem em casa.

4. Escolha o melhor tarifário
Bi-horário, simples ou em conjunto com o gás natural. Hoje em dia, as empresas disponibilizam uma série de tarifários e cabe ao consumidor descobrir qual o que melhor se aplica às suas necessidades. Por exemplo, se utiliza com muita frequência grandes eletrodomésticos, principalmente ao fim de semana e à noite, a tarifa bi-horária será mais adequada aos seus consumos que tem custos de consumo inferiores a 45%. Faça uma simulação no site da Erse.

5. Isole a casa
Uma boa dica para evitar as perdas de energia é instalar um bom isolamento nas paredes, chão e tetos. Poderá ainda instalar vidros duplos, de forma a reduzir as necessidades de climatização e minimizando o ruído exterior. Caso isso não seja possível, opte pelas portadas ou estores exteriores. Tenha em atenção que os sótãos e caves são espaços menos cuidados e por onde pode ser mais fácil começar a arranjar.

6. Evite desperdícios
Uma boa forma de reduzir a sua fatura mensal de eletricidade é descobrir os desperdícios de energia e evitá-los. Por exemplo, cada vez que sai de uma divisão deverá habituar-se a desligar as luzes, não deve deixar aparelhos em stand by pois continuam a consumir energia, evite deixar o carregador na tomada.

7. Poupe na cozinha
A cozinha é um dos maiores consumidores de energia, pois normalmente é onde estão os eletrodomésticos que mais consomem, como as máquinas de lavar. Poderá ter alguns cuidados para reduzir os consumos nesta área, como por exemplo, quando estiver a cozinhar no forno, evitar abrir a porta e desligar uns minutos antes de terminar a cozedura, para aproveitar o calor residual; coloque a temperatura do frigorífica entre 4 e 7ºC e o congelador entre - 18 e – 24ºC. Quando utilizar as máquinas (louça e roupa), faça-o apenas quando estiverem cheias e evite as temperaturas elevadas, reduza a centrifugação da máquina de lavar roupa e, sempre que possível, prefira secar a roupa no estendal.

8. Poupe na sala e quartos
Se necessitar de aquecimento central, opte pelo ar condicionado e caldeira, pois são escolhas mais económicas quando comparadas com os aparelhos portáteis. Se não conseguir evitá-los, prefira os termoventiladores aos radiadores a óleo, de acordo com informação da Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor. No Inverno, regule a temperatura dos radiadores ou do aquecimento central para 20ºC e durante a noite ou nos períodos de ausência poderá baixar ou desligar o aquecimento. No verão, feche as janelas e os estores quando o sol bate para arrefecer a casa e desligue os aparelhos quando não está ninguém em casa.

Leia também os seguintes artigo relacionados com o mesmo tema:

Eletricidade: O que deve saber sobre o mercado liberalizado? Electricidade: como escolher a sua operadora?  Mercado livre de eletricidade: compensa mudar já?  Onde encontrar o gás de botija mais barato? 

Saldo positivo

artigo do parceiro:

Comentários