4 produtos de investimento de baixo risco

Se não gosta de arriscar o seu dinheiro, conheça os produtos mais seguros do mercado

Serão as mulheres mais conservadoras nos investimentos do que os homens? Susana Albuquerque, autora do livro «Independência Financeira para Mulheres» diz que sim, por razões de ordem ancestral. Enquanto os homens sempre asseguraram a comida na mesa, as mulheres tratavam da família e da comunidade, preferindo sempre as alternativas seguras para todos os que as rodeiam.

No que diz respeito aos investimentos, mais risco pode implicar maior retorno potencial e vice-versa. Se tem algum dinheiro para investir, mas não tem vontade de se aventurar em produtos mais propensos a perder capital, há soluções no mercado que permitem colocar o seu pé-de-meia a render sem correr grandes riscos. Fique a conhecer quatro produtos financeiros de baixo risco, que têm garantia de capital.

Certificados de Aforro

O que são: São produtos de dívida pública que podem ser adquiridos por particulares. Cada certificado custa um euro e o limite mínimo de subscrição são 100 euros.

Risco: Ao comprar um Certificado de Aforro está a emprestar ao Estado português, tornando o risco associado a estes produtos muito reduzido, se acreditar que não entrará em falência. Vantagens: Se não quer ter de se preocupar com o seu dinheiro durante dez anos, os Certificados de Aforro são ideais pois atingem o seu potencial máximo de rentabilidade ao fim de uma década, com prémios de assiduidade que vão aumentando até ao final do prazo. Outra vantagem destes produtos, é que têm capitalização automática dos juros vencidos, ou seja, de três em três meses os Certificados de Aforro pagam juros e esse dinheiro é reinvestido, aumentando o bolo da sua poupança.

Certificados do Tesouro

O que são: Tal como os certificados de aforro, os certificados de Tesouro também são um instrumento de dívida pública, que pode ser subscritos por particulares.

Risco: É praticamente inexistente e o capital investido está garantido.

Vantagens: Estes produtos são mais atraentes do que os certificados de aforro, pois pagam remunerações mais elevadas (retorno baseia-se nos juros das obrigações do Tesouro e bilhetes do Tesouro) e que aumentam com o prazo. No entanto, não existem prémios de permanência porque as próprias taxas com prazos mais longos já são mais elevadas.

Tanto os certificados de aforro, como os do Tesouro podem ser subscritos no site do Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP) ou aos balcões dos CTT.

Depósitos a prazo

O que são: São, sem dúvida, os preferidos dos portugueses, tanto que, segundo o Inquérito à Literacia Financeira da População Portuguesa, 31% dos entrevistados que têm conta bancária subscrevem estes produtos. De forma simples, ao fazer um depósito a prazo está a emprestar dinheiro ao banco e recebe em troca algum dinheiro, sob a forma de juros.

Risco: Até 100 mil euros por depositante o capital investido está protegido pelo Fundo de Garantia de Depósitos.

Vantagens: Além de terem capital garantido, as taxas de juro estão bastante aliciantes e há ainda a possibilidade de poder movimentar o dinheiro a qualquer altura sem perder capital. Tem ainda uma grande variedade na oferta. Pode subscrever depósitos com vários prazos, consoante o seu objetivo.

Fundos de investimento de tesouraria

O que são: São fundos de investimento que investem predominantemente em aplicações de curto prazo e com elevada liquidez, como são os títulos de dívida pública como papel comercial ou bilhetes do Tesouro.

Risco: São de baixo risco, ideais para investidores com possível necessidade de liquidez com grande aversão ao risco. São uma alternativa aos depósitos a prazo.

Vantagens: São de baixo risco (podem existir fundos de tesouraria com diferentes níveis de risco) e nos últimos 12 meses atingiram um retorno médio de 2,31%, segundo as contas da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios (APFIPP). São uma boa alternativa aos tradicionais depósitos a prazo, porque exigem mínimos de abertura mais reduzidos e em muitos casos estão isentos de comissões de subscrição e de resgate, o que permite resgatar a aplicação a qualquer momento sem encargos.

A responsabilidade editorial desta informação é da

artigo do parceiro: Plot Dinheiro

Comentários