10 (maus) hábitos financeiros que deve eliminar da sua vida aos 30 anos

Ao entrar no clube dos 30 vai deparar-se com novos desafios próprios da idade, sejam eles pessoais, profissionais ou financeiros. Se a sua preocupação é dinheiro, eis os erros a evitar de forma a alcançar o tão desejado equilíbrio financeiro. As dicas são do site Business Insider que conversou com dois especialistas na matéria.

Poupar muito naquilo que não deve

Um dos erros mais comuns é as pessoas investirem uma boa parte do seu dinheiro nos famosos Planos Poupança-Reforma. Apesar de não desvalorizar a sua importância, um dos especialistas refere que existem outras fases da vida para as quais se deve estar preparado financeiramente. A compra da primeira casa ou o nascimento do primeiro filho são algumas delas sendo recomendável a criação de diversas contas poupança para cada uma das finalidades.

Colocar a educação dos filhos em primeiro lugar

Apesar de ser inegável a forma como um ensino de qualidade pode influenciar o futuro de um filho, há quem defenda que esta não deva ser a prioridade mais importante na vida de um pai/mãe. "A tua prioridade número um durante os 30 - mesmo tendo família - tem de ser a reforma", explica Michael Egan, consultor financeiro da Egan, Berger & Weiner, LLC. Começar a poupar antecipadamente parte do seu vencimento é uma forma de precaver o seu futuro e o do seu filho.

Gastar demasiado dinheiro com a chegada do primeiro filho

É normal que os pais, especialmente os de primeira viagem, não olhem a meios para dar tudo do bom e do melhor ao bebé, mas é desaconselhado que o faça. “Os gastos exagerados que têm lugar na casa dos 20 vão aumentando até à chegada dos filhos. E depois explodem", refere Brandon Moss, consultor financeiro da United Capital. O truque passa por pensar duas vezes antes de gastar uma pipa de massa num carrinho topo de gama e ver se compensa o investimento.

Não discutir a sua situação financeira antes do casamento

Quanto mais cedo a conversa acontecer, melhor vai ser para o casal. Tal como refere um dos especialistas, antes do grande passo é importante que ambas as partes tenham noção da atual situação financeira do cônjuge e dos seus gastos de forma a perceberem, de forma clara, como vai ser o seu futuro dali para a frente. Outro aspeto importante passa por refletir se faz sentido o casal ter contas separadas após o casamento.

Voltar a estudar pelas razões erradas

Dado ao custo elevado de um mestrado ou de um doutoramento, é importante que o investimento que está disposto a fazer valha a pena e tenha um impacto visível na sua vida profissional. “Se não sabe o que fazer após tirar um mestrado, então esse não é o caminho certo. Se esse investimento o ajudar a conseguir a promoção que tanto ambiciona, então é a solução perfeita”, explica o consultor financeiro da Egan, Berger & Weiner, LLC, referindo que o ideal é a pessoa tentar conciliar o emprego com a faculdade.

Gastar demasiado dinheiro em carros

Ter um carro dá jeito mas, de acordo com um dos especialistas, é muito importante analisar a compra de um automóvel novo. Em causa está o pagamento das prestações do veículo que, dado à sua rápida desvalorização, pode ser uma dor de cabeça para muitas pessoas. Para quem precisa mesmo de um carro novo, o ideal é que este seja pago no espaço de cinco anos e seja vendido ao fim de 10 de forma a conseguir poupar algum dinheiro. Outras soluções – ainda que discutíveis – passam por alugar ou comprar um carro em segunda mão.

Negligenciar a importância das apólices de seguro

Seguro de Vida, Seguro de Saúde, Seguro de Habitação ou Seguro de Acidentes Pessoais são assuntos que, erradamente, são passados para segundo plano durante esta fase da vida. De acordo com um dos especialistas, este é um tema sobre o qual todas as pessoas devem procurar aconselhamento de forma a terem plena consciência da sua importância e benefícios.

Aceitar um emprego apenas pelo dinheiro

Ao entrar na casa dos 30 é importante começar a encarar a vida de forma diferente e o emprego não é exceção. Nesta fase é recomendável que encare o seu trabalho como mais do que uma fonte de rendimento segura no final do mês. “O objetivo é aceitar um trabalho que o prepare para fazer muito dinheiro durante os 30 e os 40”, refere o consultor financeiro da United Capital a propósito do tema.

Gastar um balúrdio no casamento

Se tem 30 anos e vai subir ao altar, gastar uma quantia obscena no dia do seu casamento não é a opção mais acertada tendo em conta a fase da vida que está prestar a iniciar. Tal como explica um dos especialistas, é mais importante optar por uma celebração mais modesta e aplicar parte do budget na entrada de uma casa. E hoje já não há desculpas uma vez que é possível organizar uma grande festa de casamento sem gastar muito dinheiro.

Estar convencido de que vai ganhar mais no futuro

“Investe primeiro no teu futuro e certifica-te de que o teu presente está garantido”. É este o lema que todas as pessoas devem adotar quando assunto são finanças pessoais uma vez que não é possível garantir que, daqui a 10 anos, o seu empregador lhe vá pagar um salário maior do aquele que recebe atualmente. “As poupanças devem estar primeiro lugar: primeiro poupar para a reforma e depois gastar o que sobrou. Normalmente as pessoas fazem o oposto gastando o que têm e poupando aquilo que sobra”, conclui o consultor da Egan, Berger & Weiner, LLC.

Comentários