Modelo do Círculo de Controlo, Influência e Preocupação

Este modelo/conceito defendido por Stephen Covey, fornece uma visão simples sobre o que podemos controlar e/ou influenciar em comparação com as coisas que não podemos controlar ou influenciar e também como podemos aumentar o nosso carisma e influência, direcionando a nossa pro atividade para aquilo que verdadeiramente importa e que está de facto, ao nosso alcance

Aos três círculos concêntricos do modelo, chamei "Zonas", sendo que a Zona de Preocupação contém a Zona de Influência e a Zona de Controlo. Ampliando a área da Zona de Controlo e de Influência, podemos diminuir a área da Zona de Preocupação. Significa que o nosso foco se dirige para o que podemos mudar como coautores das situações da vida, e para o que podemos influenciar, motivando-nos a dominar certos hábitos de pensamento, crenças limitantes e a ir para além disso, ou mesmo afetar outros a fazer algo.

Temos, por isso, três focos, nos quais podemos distribuir a nossa energia, atenção, motivação, concentração, interesse, numa base diária, quer de forma consciente ou inconsciente. O facto de tornarmos a nossa dinâmica de escolha do nosso foco consciente, torna-nos mais aptos a seguir um trilho de recursos e a tingir o que queremos como objetivos/metas na nossa vida:

- Zona de Controlo
-  Zona de Influência
-  Zona de Preocupação
Este modelo fornece uma visão em 3 zonas para que possamos identificar aquelas coisas - que podem ser situações, comportamentos, partes de processos, habilidades, capacidades, conhecimentos, ações, eventos, que se inserem dentro do círculo de Controlo ou de Influência e quais as dinâmicas que se enquadram na Zona de Preocupação, que é por definição uma Zona de Não Controlo e de Não Influência, na qual a nossa energia drena, perdendo-se e desgastando-nos sem nada que justifique o esforço desse desgaste. Andamos cansados de queixas? Pois bem, eis um alerta que nos dá sinais de que a energia diária está a ser usada em Preocupações e não tanto em Ações ou na Influência para a mudança.

Comentários