Livros que podem mudar a sua vida num ápice

As obras que três especialistas portugueses na área da saúde mental leram, gostaram e recomendam. Páginas e páginas de recomendações que o vão tornar numa pessoa melhor

Não há top de vendas nas livrarias que não tenha um ou mais livros de autoajuda. O segmento cresceu muito desde que, em 1936, o norte-americano Dale Carnegie publicou o bestseller «Como fazer amigos e influenciar pessoas», editado em Portugal pela Lua de Papel. Hoje, debaixo do chapéu da autoajuda cabem muitos outros tipos de livros, desde os que divulgam terapias alternativas, passando pelos que prometem ajudar-nos a ter mais sucesso, enriquecer ou emagrecer, até aos que se focam na meditação e espiritualidade.

No fundo, todos querem ajudar-nos a fintar o sofrimento. E será que se encontram soluções nestes livros? O psicólogo Fernando Magalhães assume-se fã e colecionador deste tipo de obras mas alerta que «nem um por cento do que está à venda será útil e ainda menos científico». Apesar disso, recomenda-os à maior parte dos pacientes e considera que podem ser úteis em problemas específicos e moderados.

Sobretudo nos casos em que não exista um comprometimento global do funcionamento psicológico, como numa ansiedade ligeira ou num estado de humor triste, mas não deprimido.  «Se forem bons, estes livros favorecem nos que os leem o sentimento de que podem fazer alguma coisa por si mesmos e de que têm alguma autonomia para aprender e para encontrar soluções», defende o psicoterapeuta Vítor Rodrigues, ele próprio autor de livros de autoajuda.

Essa é também a visão de outros autores como Teresa Marta, formadora e fundadora da Academia da Coragem, autora de «Fazer do Medo Coragem», publicado pela Matéria-Prima Edições. «Ultrapassei os meus medos mas, para isso, tive de me superar e de reaprender a usar a extraordinária capacidade transformadora do ser humano para conduzir a minha vida de forma proactiva, passando de liderada a líder», escreve. Descubra também os 25 livros que o vão ajudar a ser uma pessoa melhor.

Livros com exercícios práticos

«Constrói a Tua Felicidade», publicado por A Esfera dos Livros, foi um dos que Vítor Rodrigues escreveu. No entanto, as soluções não estão tanto nos livros como na própria pessoa e na sua disponibilidade para mudar, alerta o psiquiatra Vítor Viegas Cotovio. «Quando me perguntam, em consultório, se há alguma coisa que possam ler que as ajude é importante desmontar o caráter mágico da procura», diz.

«Pessoas fragilizadas ou mais inseguras procuram, muitas vezes, soluções milagrosas, acham que há uma solução fora delas. Mas a verdade é que são as pessoas as protagonistas da interpretação das suas vidas e o livro, assim como o terapeuta, só poderá ser um apoio. Se ajuda ou não, dependerá sempre da disponibilidade de cada um», afiança o médico.

Muitos especialistas defendem o recurso a livros com exercícios práticos. «São úteis para desconstruir as nossas crenças irracionais que estão associadas à forma como pensamos. Por exemplo se saí de manhã e o dia estava chuvoso e fui atropelado, posso criar uma associação arbitrária e sempre que estiver nublado vou ficar ansioso», refere Vítor Viegas Cotovio.

Perceber este mecanismo pode ajudar-nos a alterar os esquemas de pensamento. «Mas não basta perceber, é preciso treinar, com  a ajuda de exercícios, várias vezes, até que o território neuronal se modifique», sublinha o psiquiatra.

Veja na página seguinte: Os livros de autoajuda que os especialistas recomendam

Comentários