O que os outros pensam sobre nós

Que imagem projeta de si no trabalho, nos afetos e na relação com a sua própria saúde?

Há quem se preocupe demasiado com isso e quem o ignore completamente mas por que razão o que os outros pensam sobre nós tem tanta (ou, nalguns casos, tão pouca) importância?

«Somos seres sociais, vivemos em grupo, logo é natural sentirmos a sua influência e darmos importância à forma como somos vistos e valorizados», responde Catarina de Castro Lopes, psicóloga clínica.

«Muitas vezes, é através dos outros que nos integramos a nós mesmos», refere ainda. Na prática, o impacto da opinião alheia «depende da interpretação que damos a essa informação e da nossa autoestima», considera a psicóloga clínica, habituada a observar comportamentos humanos (a)típicos.

«Podemos chegar à conclusão de que determinada opinião foi importante para nós, em certo momento, ou perceber que de nada nos serve ou ajuda. Pode decidir rejeitá-la, defender-se ou, se fizer sentido para si, recebê-la com humildade e aprender alguma coisa, proporcionando crescimento pessoal», sublinha ainda.

A análise que reunimos de oito especialistas, sem querer deixá-la ficar refém do potencial juízo dos outros, uma vez que está dependente também da personalidade de quem avalia, pretende ajudá-la a detetar aspetos que desconhecia e a melhorar a imagem que projeta sobre si e na qual gosta (ou não) de se rever. Porque, no final, como sublinha a psicóloga, «mais importante do que os outros pensam de nós é o que pensamos sobre nós mesmos».

artigo do parceiro:

Comentários