O que fazer para estar de férias o ano inteiro

Os bons momentos, a alegria, a diversão e o espírito leve que vivemos durante os períodos de descanso e lazer podem ser mantidos ao longo de todos os restantes dias.

Sair da rotina e pôr de lado, durante alguns dias, os compromissos diários é fundamental para a nossa saúde física e mental. Descomprime-nos, promove o nosso bem-estar e recarrega as baterias que precisamos para enfrentar novos desafios. Numa palavra, reequilibra-nos. Num estudo recentemente divulgado pelo jornal britânico Daily Mail e realizado pela agência de viagens Expedia, cerca de 30 milhões de britânicos descreveram as mudanças que sentiram após o seu último período de férias.

Entre eles, aumento dos níveis de bem-estar e melhorias na saúde física, bem como, em áreas como as relações sociais, a qualidade do sono, a motivação e a autoconfiança, os níveis de produtividade, o aspeto da pele e a criatividade. Agora, imagine o que teríamos a ganhar, se incluíssemos algumas das experiências e sensações que vivemos durante o período de férias no nosso quotidiano. Três especialistas indicam estratégias:

- Faça coisas que lhe dão prazer

Durante o período de férias é habitual querermos fazer apenas aquilo que mais gostamos. «Quando nos envolvemos em atividades geradoras de prazer, ativamos a segregação de neurotransmissores importantes como a serotonina e a dopamina, essenciais para a manutenção de um bom humor e de níveis de energia saudáveis, que vão ajudar-nos a gerir melhor o stresse do dia a dia», refere Filipa Jardim da Silva, psicóloga clínica.

«Ao longo do ano, introduza nas suas rotinas pequenos momentos para relaxar e divertir-se. Pode ser a prática de exercício físico em família num sábado à tarde, a costura ou a pintura, enquanto os seus filhos fazem os trabalhos de casa, ou até a culinária, aliando assim o prazer ao útil e necessário. De uma forma ou de outra, é muito positivo sentir que guardamos espaço para atividades lúdicas ou que tornamos mais lúdicas as nossas tarefas do dia a dia», afirma Filipa Jardim da Silva.

- Alcance o estado de fluxo

Este estado ocorre quando estamos de tal maneira envolvidos numa determinada tarefa que nem damos conta do tempo a passar. «O número de experiências que temos em tempo de férias que permitem criar este estado de fluxo é substancialmente mais elevado. A pergunta que se coloca é por que motivo não conseguimos atingir este estado nas tarefas do dia a dia?», afirma Vítor Viegas Cotovio, psiquiatra e psicoterapeuta.

«É preciso saborear sensorialmente as experiências que vivemos diariamente. Ficar totalmente imerso numa determinada tarefa ajuda-nos a desligar da rotina e permite recarregar baterias, de forma a que fiquemos novamente sintonizados. Podemos ter menos disponibilidade, mas ainda assim é possível entregarmo-nos a algo de que gostamos muito, sem ficarmos reféns de compromissos», diz, ainda.

Por vezes, tendemos a pensar que, uma vez que não é possível dedicarmo-nos a uma determinada atividade a 100%, mais vale não perdermos tempo a tentar realizá-la de outra forma. Um pensamento que está errado, segundo Vítor Viegas Cotovio. «Se tem menos tempo no dia a dia para se dedicar ao que mais gosta, procure usufruir dessa experiência, mesmo que durante menos tempo, ou opte por reduzir o número de atividades extra trabalho, dedicando-se apenas às suas preferidas», sugere.

«As atividades que à partida já sabe que adora podem funcionar como canais diretos para o tal estado de fluxo. As práticas meditativas que se aprendem nos vários tipos de meditação (transcendental, zen, budista), no mindfulness, no yoga ou no tai-chi, podem ajudá-la a desligar-se da sua rotina e a entregar-se totalmente aos momentos que vão trazer uma "lufada de ar fresco" ao seu dia», refere ainda o especialista.

Veja na página seguinte: A aposta que deve fazer

Comentários