Estudo revela os efeitos psicológicos do machismo nos homens

Um estudo americano revela que os homens que têm por hábito fazer comentários depreciativos e exercer controlo sobre o sexo feminino acabam por assistir a uma diminuição da sua saúde mental.

“Isto não é algo que magoa só as mulheres. Os agressores também podem sofrer através do chamado efeito boomerang”, refere ao site Mashable Y. Joel Wong, um dos autores do estudo publicado no Journal of Counseling, onde são revelados os efeitos negativos que os machistas sentem na pele.

Poder sobre as mulheres, controlo emocional, comportamento de risco, violência, dominação, ser playboy, desdém por homossexuais, primazia no trabalho, autoconfiança, ser vencedor ou sede de estatuto social foram os traços analisados pelos três investigadores sendo que grande parte deles estavam relacionados com o decréscimo da saúde mental e dificuldade em procurar ajuda psicológica.

Mas como é que um homem com estes traços de personalidade acaba por sofrer com as suas próprias ações? A investigação, realizada com base nas conclusões de 74 estudos feitos sobre o tema, explica que este tipo de práticas – facilmente condenáveis pelo núcleo familiar e círculo de amigos - acabam por levar a que a pessoa em questão não seja capaz de desenvolver ligações fortes com terceiros, acabando por se isolar do mundo que o rodeia e poder desenvolver um quadro depressivo.

Contudo, os investigadores também verificaram que estes traços de personalidade também acabam por ser associados a aspetos positivos da saúde mental dos homens, como a satisfação e o bem-estar social.

Sem nunca menosprezaram o papel da vítima, com este estudo os autores pretendem assim chamar a atenção para um lado diferente do problema, alertando para os efeitos que este tipo de comportamento social tem junto dos próprios abusadores.

Comentários