É capaz de se colocar no lugar do outro?

As histórias de amor, as amizades improváveis e as carreiras de sucesso começam com a empatia. Se não for aplicada, pode afetar as nossas relações. Saiba como.

Improvável. É mesmo a palavra ideal para caracterizar a amizade entre um tetraplégico rico e um ex-presidiário que gosta de viver de subsídios do Estado. Se não conhece o filme, essa é a premissa de «Amigos Improváveis», de 2011, uma das comédias dramáticas que mais sucesso teve nos últimos anos. Sobretudo, porque é baseada numa história verídica a que também ajudaram as brilhantes prestações dos atores que interpretam os papéis principais, François Cluzet como o tetraplégico rico Philippe e Omar Sy, o ex-presidiário.

Contado assim até parece mentira, mas o cinema tem o poder de nos transportar para um mundo que não é o nosso, de nos colocar na pele de vítimas e de vilões. Por isso, se ainda não viu este filme, que representa perfeitamente o poder e impacto que a empatia tem na nossa vida, recomendamos que o veja… logo a seguir a ler este artigo! Entretanto, aproveite para saber como aumentar os seus níveis de empatia.

Conviver em sociedade

Alguma vez imaginou como se sentiria se estivesse na pele de outra pessoa, a sentir o que ela sente, a pensar o que ela pensa? Isso é mais do que compreensão. É empatia! «A empatia é um conceito frequentemente tido como sinónimo de simpatia, o que não é verdade», explica Filipa Jardim da Silva, psicóloga clínica na Oficina de Psicologia.

«Empatia é a capacidade de percecionar o mundo como outra pessoa, de partilhar e compreender os sentimentos, necessidades e preocupações de outro como se estivesse na mesma situação», acrescenta ainda. A empatia tem duas dimensões. A cognitiva e a emocional.

Teresa Limpo, investigadora no Laboratório de Fala na Universidade do Porto, descreve que, enquanto a componente cognitiva «envolve a capacidade de percebermos o que a outra pessoa está a sentir», a componente emocional já requer que o indivíduo consiga «sentir o que o outro está a sentir». Por isso mesmo, esta competência é essencial para os indivíduos se relacionarem entre si e se integrarem na sociedade.

Relações mais satisfatórias

A empatia traz inúmeros benefícios para a nossa vida, nos mais variados domínios. Mas, especialmente, na esfera pessoal. De acordo com Filipa Jardim da Silva, a empatia promove relações pessoais pautadas «por maior tolerância e aceitação». E Teresa Limpo oferece dois exemplos de como ter níveis elevados de empatia pode ser vantajoso para a nossa família.

«Se o meu filho caiu, é importante que eu entenda o que está a sentir para poder confortá-lo», afirma. «Nos relacionamentos entre casais, é importantíssimo colocarmo-nos nos pés do outro, termos a perspetiva do outro para resolver conflitos», acrescenta ainda.

Veja na página seguinte: As vantagens da empatia a nível profissional

Comentários