Vida longa e saudável… sem baço!

Produz, controla, armazena e destrói as células sanguíneas, mas é possível viver sem ele. Um médico especialista adverte, contudo, para os cuidados a ter

«As pessoas sem baço podem levar uma vida longa e saudável, precisando apenas de tomar algumas precauções». Quem o garante é Luis Galindo, médico cirurgião geral e colorretal do Hospital Cuf Infante Santo. Tendo o baço quatro funções importantes como a filtragem do sangue, a função imunológica (criar defesas), ser reservatório de sangue e a criação de elementos do sangue (hematopoiética), após a sua remoção cirúrgica (esplenectomia), o espaço é ocupado pelos órgãos vizinhos (estômago, cólon e grande epíploo).

«As suas funções são igualmente assumidas por outros órgãos (como, por exemplo, o fígado)», refere o especialista. «No entanto, durante os dois primeiros anos após a cirurgia, existe um risco acrescido de infeções. Por isso, antes ou após a cirurgia (conforme os casos), devem ser feitas as vacinas indicadas nesta situação, dirigidas para as bactérias encapsuladas (Pneumococcus, Meningococcus e Haemophilus influenza B), de acordo com as indicações do cirurgião», acrescenta ainda o especialista.

Este profissional lembra, ainda, que estes doentes devem fazer anualmente a vacina antigripal. De sublinhar que em alguns casos específicos (como nas crianças), pode ser necessário realizar antibioterapia de longo curso. «Caso se extraia o baço (esplenectomia), o corpo perde parte da sua capacidade para produzir anticorpos e para eliminar bactérias do sangue. Por conseguinte, a capacidade do corpo para combater as infeções encontra-se reduzida», refere o Manual Merck, uma publicação de saúde online.

«Ao fim de pouco tempo, outros órgãos (principalmente o fígado) aumentam as suas defesas para compensar esta perda, pelo que o risco de infeção não dura toda a vida», pode ainda ler-se. O baço, que produz, controla, armazena e destrói as células sanguíneas, «é um órgão esponjoso, liso e de cor púrpura, quase tão grande como o punho. Está localizado na parte superior da cavidade abdominal, mesmo por baixo das costelas, no lado esquerdo», descrevem ainda.

artigo do parceiro:

Comentários