Tomar um antibiótico

Os cuidados que deve ter em consideração

Os antibióticos são valiosos no combate a infeções provocadas por bactérias.

No entanto, estes medicamentos não curam infeções por vírus (gripe, varicela, herpes, HIV) ou fungos (pé de atleta, candidíase vaginal).

Por serem mal utilizados, tem surgido o problema de resistência a este tipo de fármacos, o que reduz ou impede a sua atividade no tratamento de infeções bacterianas.

Dado que não existem alternativas é fundamental preservar a atividade dos antibióticos sem a qual poderá deixar de haver tratamento possível, o que conduzirá a elevada morbilidade e mortalidade.

A atividade dos antibióticos é seletiva (cada um atua sobre certos tipos de bactérias e é inativo sobre outras), por isso, são selecionados mediante critérios científicos. Assim, impõe-se seguir duas regras fundamentais: não usar antibióticos para infeções não bacterianas nem os usar sem receita médica.

O tratamento deve ser feito com as doses exatas, tomadas com o intervalo de tempo e durante os dias que o médico recomendou, mesmo que ao fim de poucos dias os sintomas desapareçam.

Não cumprir as recomendações médicas, reduzindo doses e a duração do tratamento, faz com que as bactérias se adaptem e deixem de ser eliminadas, fator também responsável pela resistência aos antibióticos.


Revisão ciêntifica: Maria Augusta Soares (professora na Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa)

artigo do parceiro:

Comentários