Spa. Raízes na antiguidade

O uso do SPA (Saúde Pela Água) difundiu-se a todos os cantos do mundo, mas as suas raízes são ancestrais.

A tradição do spa é milenar, conhecida já na antiga Grécia, firmou-se com as termas criadas também na antiguidade pelos romanos. Neste império, derivada da famosa expressão "Salus per Aquam", a palavra SPA designava todos os lugares de águas minerais e termais, que os romanos usavam para obter resultados curativos para diversas afecções.

Mas foi só no século XVI que o spa começou a ganhar contornos mais definidos, ainda na Europa, e apenas no Século XVIII passaram a ser conhecidos, como os conhecemos hoje. A palavra spa é também o nome de uma cidade belga que se tornou famosa pelas suas águas termais, e pela qualidade de vida que oferecia aos seus habitantes.

Actualmente, retomam-se as distintas técnicas ancestrais, naturais e cosméticas, de saúde corporal e espiritual, para gerar novos conceitos e formas de uso do spa, oferecendo, além da terapia da água, outras técnicas que combinam massagens, exercícios, cuidados e nutrição, com o propósito de desintoxicar, relaxar, hidratar e purificar o organismo e ainda prevenir o stress, mas quase todos os rituais com raízes na antiguidade.

Virtudes ancestrais
Há quem diga que o uso terapêutico da água começou quando o homem pré-histórico notou que, lavadas, as feridas saravam mais rapidamente. Na mais remota antiguidade, na Caldéia, já existiam construções especiais e balneários públicos e, mais tarde, também encontradas na Pérsia e no Egipto.

Em St. Moritz, na Suíça, existem encanamentos da Idade do Bronze na região das fontes naturais de águas quentes. O banho é uma actividade que sempre foi praticada por todos os povos no decorrer da história, tanto por motivos higiénicos, religiosos, por prazer, e com finalidades terapêuticas.

Pouco a pouco, os povos antigos foram incorporando todo um conhecimento medicinal, fazendo uso dos benefícios terapêuticos dos diferentes tipos de água, do vapor e da transpiração, bem como da utilização de ervas aromáticas para o tratamento de diversos males e também como fonte de prazer.

Saiba mais na próxima página

Na época dos gregos, os médicos louvavam as virtudes dos diferentes tipos de banhos, com água doce e do mar, e aconselhavam o uso de óleos na água para untar o corpo antes da pessoa se secar. As terapias nas termas e balneários eram acompanhadas de massagens e dietas.

No Império Romano, perto de fontes e poços de águas minerais havia termas para combater as fadigas, avivar energias, curar as feridas e tratar os males crónicos. Eram frequentadas com entusiasmo não só pelos nobres, mas também pelos soldados e, por fim, por todos. Muitos cidadãos ricos tinham os seus banhos privados.

Originalmente, os banhos romanos consistiam em banhos de água fria e pequenas piscinas para nadar, mas a influência grega converteu-os também ao uso do banho de vapor com a finalidade de abrir os poros da pele e induzir a transpiração. Toda a capacidade tecnológica e artística dos romanos aparece na construção dos banhos, onde os artistas criaram belos mosaicos e pinturas murais.

Com o Império Romano as chamadas termas ou spas expandiram-se para toda a Europa e Norte da África, dando origem às cidades baptizadas com prenomes ligados à água: Aix-le-Bains e Vichy na França; Wiesbaden e Baden Baden, na Alemanha; Bath, na Inglaterra. Generais, nobres e comerciantes iam com grande frequência às termas mais afamadas, mesmo as distantes.

Os Árabes continuaram na nossa Península a tradição balnear romana. Na idade média o uso dos banhos decaiu, por o cristianismo os ter combatido, em virtude dos abusos que se praticavam nos balneários. Somente no século XVII o banho se tornou definitivamente restabelecido. Mesmo assim, foram necessários mais de 200 anos para convencer os europeus de que era algo saudável.

Cuidados reinventados
Hoje em dia, os spas apresentam várias novidades e cuidados de beleza com origens nos povos da antiga Grécia, Roma, Oriente, etc. Apesar de haver uma panóplia de rituais associados aos spas, vamos apresentar alguns que são um sucesso em qualquer gabinete e que remontam às suas origens ancestrais.

● Argilas

Método natural para eliminar toxinas. Em muitas culturas actuais e ancestrais, a terra simboliza a mãe, fonte de todos os seres e protectora. Na forma de argila, ela é utilizada como matéria-prima para diversos cuidados.

Saiba mais na próxima página

A argila possui três propriedades fundamentais: eficaz no tratamento de inflamações, edemas e inchaços; liberta elementos que fazem parte da sua constituição que protegem a pele, ajudando a absorver toxinas; fixa elementos gasosos, partículas do meio ambiente, moléculas e bactérias.

Existem vários tipos de argila e de cuidados, um desses cuidados é o Rasul (nome da argila utilizada), este ritual corporal remove as células mortas e regenera a pele. As argilas são indicadas para o tratamento de manchas, peles sensíveis e delicadas, peles oleosas, manchadas e cuidados corporais, pois activam a microcirculação sanguínea, entre outros benefícios.

● Banho de leite em pó "Banho de Cleópatra"

Alivia tensões, mima o corpo, descongestiona, desperta os sentidos, hidrata e nutre a pele. Neste banho o pó ultra-fino, graças às ondulações da água que provocam borbulhas de ar, transforma-se numa sedosa "mousse de leite".

O banho converte-se num lago branco imaculado que convida à paz e ao bem-estar, ao mesmo tempo que se difunde na atmosfera um perfume delicado. Enriquecido com proteínas de leite e colagénio marinho que acaricia a pele húmida e lhe confere os seus agentes hidratantes e nutritivos.

● Barro marinho

Barro de origem marinha concebido para proporcionar, em conjunto com um método de trabalho específico, uma exclusiva sensação de descontracção e bem-estar graças à sua capacidade autoaquecedora e à sua agradável textura borbulhante. Relaxa, elimina os pontos de tensão e desperta os sentidos.

Esta combinação de barro marinho, argila, algas castanhas e espirulina é rica em sais minerais e oligoelementos, que provêm da alta concentração de minerais que tem o mar.

● Chocoterapia

O chocolate está na moda, doce ingrediente de acção hidratante, regenerante e anticelulítica, que se converteu num valioso activo cosmético. Está demonstrado que o cacau induz a produção de endorfinas no organismo, que por um lado provocam uma agradável sensação de bem-estar e, por outro, actuam na libertação de gorduras.

Saiba mais na próxima página

Um delicioso envolvimento corporal à base da cacau que reúne benefícios cosméticos e prazer emocional. Ajuda a melhorar a silhueta, o aspecto de "pele casca de laranja", hidrata e suaviza, dá energia e vitalidade à pele.

● Massagem das pedras

Os cristais e as pedras são utilizados desde o princípio dos tempos por diferentes culturas e civilizações tais como a egípcia, grega, romana, oriental e azteca. Estas culturas utilizaram as pedras para fazerem armas e instrumentos, mas também como curas de doenças, uma vez que lhes atribuíam propriedades místicas e espirituais.

Inspirando-se nesta sabedoria muitas são as massagens que surgiram com pedras, utilizadas quentes e frias, que proporcionam um estado total de descontracção, conseguindo-se desta forma a harmonia entre corpo, mente e espírito.

Estas massagens podem ser aplicadas com diferentes terapias como a aromaterapia, terapia neuromuscular, reflexologia, shiatsu, acupunctura, medicina chinesa, ou outra terapia, onde, em vez das mãos, a energia mágica das pedras possa ser usada. Estas massagens aliviam as tensões musculares, relaxa profundamente a mente, e combatem o stress e a ansiedade.

● Shirodhara

Faz parte da massagem ayurvédica, e é muito usual no spas de hoje. A palavra Shirodhara significa "fluxo constante na cabeça". A técnica actua sobre a glândula pineal, responsável por vários distúrbios neurológicos. O tratamento é realizado através do uso de uma corrente ou veículo de acordo com o dosha dominante de cada pessoa.

Pode-se utilizar óleo, leite ou um preparo especial feito à base de leite. Este é utilizado morno, onde é colocado num pote de bronze, que pinga continuamente por um determinado tempo sobre a testa. Este fluxo constante produz ondas circulares que vão acalmar o cérebro, "tratando" assim algumas doenças de origem neurológica.

● Vinoterapia

Cuidados nos quais se utilizam distintos tipos de extractos de uva, molhos, vinhos ou óleos derivados. Os polifenóis que se encontram na uva são de grande valor e cuidado da pele quando se incorporam nas fórmulas cosméticas: contribuem para que a pele se mantenha jovem e elástica, neutralizam os efeitos prejudiciais dos radicais livres, dão luminosidade e vitalidade à pele stressada, tonificam a pele, e aliviam o stress.

Agradecimentos:
Sorisa

artigo do parceiro:

Comentários