Problemas de ereção

A partir de que altura deve procurar acompanhamento médico

Os problemas de ereção, também conhecidos como disfunção erétil ou impotência, são mais frequentes do que imagina.

Permanecem, contudo, um tema tabu entre a população masculina, ainda pouco habituada a abordar publicamente estes assuntos.

Estima-se que cerca de 500 mil homens portugueses sofram de problemas de ereção, independentemente das suas causas serem psicológicas, físicas ou uma combinação de ambas.

Apesar de mais comuns em homens mais velhos, os problemas de ereção podem ocorrer em qualquer idade, estando a tornar-se cada vez mais frequentes em homens com menos de 40 anos. No entanto, segundo estatísticas nacionais, cerca de 25% dos homens com mais de 40 anos sofrem deste problema, sendo este o grupo mais afetado.

Como pode saber se sofre de disfunção erétil?

Os principais sintomas dos problemas de ereção são a incapacidade de atingir ou manter uma ereção com firmeza suficiente para conseguir uma relação sexual satisfatória. Os problemas de erecção não influenciam a capacidade do homem atingir o orgasmo ou até mesmo de ejacular e não estão directamente relacionados com a falta de desejo sexual.

Segundo Stam Poupalos, médico da clínica 121doc, «o diagnóstico da disfunção erétil apenas é possível quando as dificuldades em conseguir ou manter uma ereção permanecem pelo menos por três meses. Este período de tempo permite estabelecer um diagnóstico mais preciso, bem como avaliar a gravidade e as causas que levam a esta condição», explica o especialista.

Causas dos problemas de ereção

O processo por detrás da obtenção de uma ereção é complexo e envolve o cérebro, as hormonas, emoções, músculos e os vasos sanguíneos. Qualquer alteração num ou mais destes intervenientes pode resultar em problemas de ereção, independente de as causas serem físicas os psicológicas.

Os problemas de ereção podem relacionar-se com outros problemas de saúde como a diabetes, o colesterol elevado, a hipertensão e a aterosclerose, bem como com alguns medicamentos que esteja a tomar para o tratamento destas ou de outras condições. Apesar de as causas psicológicas como o stress, a ansiedade e a depressão também poderem desempenhar um papel importante na disfunção erétil, cerca de sete em cada 10 casos devem-se à obstrução das pequenas artérias do pénis.

Essa obstrução leva, consequentemente, à redução do fluxo sanguíneo para este órgão. A principal causa desta obstrução é a formação de placas de ateroma nas artérias, associada ao aumento do risco de problemas cardiovasculares. Os homens que bebem demasiado álcool, fumam ou consomem drogas ilegais têm também um risco mais elevado de sofrer de problemas de ereção.

Comentários