Portugal já realiza cirurgias à coluna com sistema de navegação eletrónica corporal

Equipamento inovador O-arm fornece imagens intraoperatórias multidimensionais completas

Portugal já dispõe de uma nova e inovadora tecnologia para cirurgias à coluna vertebral.

Apresentado publicamente como «o mais avançado sistema de imagem intraoperatória do mundo», o O-arm permite a obtenção de imagens em 3-D em tempo real sem que o paciente tenha que sair do bloco operatório.

A primeira cirurgia da coluna vertebral feita em território nacional com recurso a estes novos sistemas de navegação eletrónica corporal sob controlo de imagiologia 3D intraoperatoria teve lugar no final de julho de 2013, na Clínica de Santa Filomena, em Coimbra. Utilizado no tratamento cirúrgico à coluna, este sistema fornece imagens intraoperatórias multidimensionais completas, incluindo imagens em 3-D em tempo real e vários planos, imagens em 2-D e imagens por fluoroscopia.

Através desses registos, os neurocirurgiões e ortopedistas podem visualizar a anatomia do doente na posição cirúrgica, monitorizar o status da cirurgia e verificar as alterações anatómicas do doente em imagens volumétricas em 3D no final da intervenção.

De acordo com Luís Teixeira, médico ortopedista e responsável da Unidade de Coluna da Sanfil, empresa que trouxe a tecnologia para Portugal, «graças a este sistema, que permite a obtenção de imagens multidimensionais em cerca de 30 segundos e, conjugando estas imagens com a tecnologia mais avançada do mundo em navegação corporal as intervenções, são feitas com os mais elevados níveis de segurança, menor tempo operatório e em conjugação com procedimentos menos invasivos, os tempos de recuperação dos doentes são mais rápidos e obtêm-se melhores resultados», assegura o especialista.

«Até ao momento só era possível obter imagens multidimensionais completas dos pacientes antes e após cirurgia. O O-arm é o primeiro sistema que fornece imagens durante o procedimento cirúrgico», sublinha António Peliz, médico neurocirurgião. «Com a aquisição deste equipamento tecnologicamente avançado, o primeiro em Portugal, a Sanfil aposta claramente numa estratégia de diferenciação sempre com vista à melhoria da qualidade de vida dos seus pacientes e a uma gestão eficaz de todos os serviços da clínica», refere Henrique Amaral Dias, CEO da empresa que também gere o Centro Hospitalar de São Francisco, em Leiria.

O sistema O-arm permite recolher, em poucos segundos, imagens volumétricas em 2-D ou 3-D e está desenvolvido especificamente para ser utilizado por cirurgiões em blocos operatórios, enquanto fornece imagens de alta qualidade, comparativamente às dos sistemas fixos de tomografia computadorizada. Os recursos eletromecânicos permitem o posicionamento repetitivo do pórtico entre os disparos de imagem e uma localização discreta que permite o acesso sem restrições ao paciente.


artigo do parceiro:

Comentários