O retrato da artrite reumatoide em Portugal e no mundo

Os resultados de um inquérito global com mais de 10.000 doentes com artrite reumatoide

Um inquérito global, com mais de 10.171 doentes com
artrite reumatoide, concebido por especialistas multinacionais e multidisciplinares, abrangeu, em Portugal, 341 doentes, além de doentes de outros 41 países.

O maior inquérito, a nível global, com doentes com artrite reumatóide permitiu concluir, por exemplo, que a a artrite reumatoide afetou negativamente cerca de  96% dos doentes portugueses.

E afetou-os em, pelo menos, um dos aspectos da sua vida. Segundo as conclusões deste estudo, 18%  dos doentes acha que seria mais fácil viver com artrite reumatoide se as pessoas à sua volta fossem mais solidárias e compreensivas relativamente ao impacto que a doença tem na suas vidas.

No nosso país, os resultados mostram ainda que enquanto a maioria dos doentes com artrite reumatoide (92%) dizem que conhecem bastante ou muito sobre a doença, cerca de dois em cada cinco (21%) não reconhece que o dano das articulações, causado pela artrite reumatóide, é irreversível.

Os resultados do inquérito para Portugal destacam também as lacunas de conhecimento entre o que os doentes sabem sobre a doença e a forma como estão a gerir a sua doença. Embora cerca de nove em cada 10 doentes digam que têm uma boa compreensão da importância do controlo da doença, cerca de oito em cada dez (81%) erradamente concordam que a ausência de dor significa que a sua artrite reumatoide está controlada.

Além disso, os doentes mais envolvidos na comunidade de doentes com artrite reumatoide, incluindo aqueles que são membros de associações de doentes e os que interagem com outros doentes com a patologia, têm mais possibilidades de ter conhecimento sobre o assunto e participar ativamente na controlo da sua doença. O inquérito conclui também que, metade dos doentes com artrite reumatoide dizem que o seu trabalho e carreira ou capacidade para trabalhar foram afetados negativamente pela doença, e mais de um em cada três destes doentes diz que já tiveram que se ausentar (36%) ou parar de trabalhar durante um período de tempo (32%).

A pesquisa do inquérito mundial sobre artrite reumatoide, respondido anonimamente pelos doentes, foi conduzido pela Harris Interactive através de inquérito em papel e inquérito online entre 14 de fevereiro e 11 de abril de 2013. O inquérito avaliou os resultados de mais de 10.000 adultos com artrite reumatóide em todo o mundo. Os entrevistados têm vivido com o diagnóstico de artrite reumatoide, em média, nove anos, e são mais mulheres do que homens (74% versus 26%), com uma idade média de 49,8 anos.

artigo do parceiro:

Comentários