O que deve saber sobre lesões musculosqueléticas

Lesões musculosqueléticas é a designação dada às lesões que afetam os músculos, as articulações, os tendões, os ligamentos, os nervos e os ossos.

Se julga que as lesões musculosqueléticas são um problema exclusivo dos desportistas profissionais, não se iluda! Estas podem surgir quando menos se espera, mesmo nas atividades mais triviais do dia a dia, devido a esforços, por vezes excessivos e inadequados, a que os músculos estão sujeitos. Mas existem formas de aliviar a dor e recuperar a liberdade de movimentos.

Uma das causas mais frequentes deste tipo de lesões é a adoção continuada de posturas incorretas e movimentos repetitivos. A prática desportiva sem aquecimento prévio, esforços físicos excessivos e bruscos, acidentes com impacto mecânico ou meras atividades de rotina podem também estar na origem de muitas destas situações traumáticas.

Sintomas

Os sintomas associados podem variar consoante o grau, o tipo e a extensão da lesão, mas incluem geralmente:Dor, por vezes, incapacitante

- Rigidez
- Edema
- Inflamação
- Hematoma
- Redução da amplitude de movimentos
- Redução da capacidade de suporte (por exemplo, no caso de uma entorse, apoiar o peso do corpo no pé pode provocar uma dor intensa)

Tipos de lesões

Embora os sintomas, muitas vezes, sejam comuns, os vários tipos de lesões que existem são distintos:

Quando o músculo estica demasiado ou de forma repentina – por exemplo quando se levanta um peso numa posição incorreta – ocorrem as chamadas distensões musculares.
Por outro lado, ao que vulgarmente se apelida de “mau jeito”, resultante de um movimento brusco em que a articulação – como o joelho, o tornozelo ou o pé – sofre uma torção, denomina-se entorse.

Finalmente, quando os tendões ficam inflamados, nomeadamente devido a movimentos ou tarefas repetitivas – como escrever várias horas por dia com os pulsos e as mãos numa posição errada – denomina-se tendinite.

O tratamento destas lesões passa pela proteção da região afetada, para evitar o agravamento da lesão, o arrefecimento da área logo após a lesão, a compressão da zona com uma ligadura elástica e imobilização do membro lesionado. Podem ainda ser administrados analgésicos ou anti-inflamatórios, acompanhados de exercícios físicos específicos de fisioterapia. Joelheiras, pulsos elásticos e outro tipo de suportes ajudam também à recuperação.

Para mais informações, peça ajuda ao seu farmacêutico.

artigo do parceiro:

Comentários