Medicamento para a paramiloidose

O único fármaco para o tratamento da paramiloidose vai estar disponível ainda este ano

Em testes desde 2007, o medicamento tafamidis pode ser a salvação de muitos doentes que sofrem de paramiloidose, conhecida como a doença dos pezinhos.

Este medicamento foi alvo de sucessivos testes, entre os quais um ensaio clínico realizado em Portugal, em 2009, no Hospital de Santo António no Porto, no qual a neurologista Helena Coelho comprovou a sua eficácia em 60% dos casos.

O tafamidis, então designado Fx1006A, é o único medicamento existente para a paramiloidose que evita a necessidade de transplante hepático, até agora a única solução para a doença. A paramiloidose é uma doença hereditária, crónica e degenerativa que afecta mais de 1500 portugueses e protagoniza 100 novos casos anualmente.

Este novo medicamento é aplicado em França há mais de um ano e, brevemente, será disponibilizado em Itália. Portugal continua à espera do aval do Ministério da Saúde, pelo que o presidente da Associação Portuguesa de Paramiloidose, Carlos Figueiras, relembra a importância e a urgência da chegada desta medicação que pode salvar, de imediato, cerca de 100 doentes. «O medicamento tem os seus custos mas a vida humana não tem preço», refere.

O tafamidis será administrado apenas em contexto hospitalar, no hospital de Santa Maria em Lisboa e no hospital de Santo António no Porto, e a urgência na sua comercialização decorre do facto de ser a única forma de travar as consequências da doença, evitar a necessidade de um transplante de fígado e garantir a qualidade de vida aos doentes.

artigo do parceiro:

Comentários