Má escolha dos óculos de sol pode ser prejudicial

A Unidade de Oftalmologia do Hospital Lusíadas Porto deixa alguns conselhos para ajudar a escolher os óculos de sol mais adequados.

Os óculos de sol devem estar devidamente adaptados à idade e à atividade diária de quem os utiliza e uma má escolha pode resultar em lesões oculares. A Unidade de Oftalmologia do Hospital Lusíadas Porto deixa alguns conselhos para ajudar a escolher os óculos de sol mais adequados.

“Os óculos de sol que não absorvem grandes quantidades de radiação ultravioleta (UV), de facto criam condições para que o olho esteja mais exposto às radiações do que se não utilizarmos óculos. O motivo é simples: a pupila fica dilatada permitindo a entrada de maior quantidade de radiação”, explica Álvaro Sá, oftalmologista do Hospital Lusíadas Porto.

Na hora de escolher os óculos mais adequados a cada pessoa, o especialista deixa alguns conselhos: “as lentes verdes ou cinzentas são consideradas neutras porque não distorcem a cor dos objetos, por outro lado as lentes castanhas causam uma ligeira distorção nas cores mas aumentam o contraste. As lentes amarelas ou alaranjadas provocam uma distorção das cores mas aumentam o contraste e a profundidade de campo. Estas últimas são utilizadas por pilotos, pescadores, caçadores, etc”.

“Relativamente ao material dos óculos, o vidro apresenta uma melhor ótica e resistência aos arranhões, são mais pesadas e têm uma menor resistência ao impacto. Já o acrílico, policarbonato, poliuretano são materiais mais suscetíveis aos arranhões mas mais leves e resistentes ao choque, especialmente as lentes de policarbonato”, conclui.

artigo do parceiro: Susana Krauss

Comentários