Luta contra o cancro é uma batalha difícil que pode ser vencida

Cerca de 25% da população portuguesa já sofre ou pode vir a sofrer da doença. Apesar da mortalidade ainda ser elevada e do número de casos estar a aumentar, nem tudo são más notícias

É uma das principais causas de morte prematura em muitos países do mundo e Portugal não foge à regra. Segundo dados já divulgados publicamente pelas entidades que acompanham a evolução da doença, cerca de 25% da população portuguesa morre de cancro, o que corresponde a um em cada quatro portugueses. Em 2009, os cancros digestivos eram os mais fatais em território nacional, sendo o cancro colorretal responsável por cerca de 5.000 novos casos por ano e o cancro do estômago por cerca de 4.000, sendo 3.000 desses mortais. Nos últimos anos, o panorama não se alterou significativamente.

No homem, o cancro da próstata é um dos mais comuns. Na mulher, é o cancro da mama que surge no topo das prioridades. Nas últimas décadas, apesar de uma ligeira baixa nas taxas de mortalidade associadas a algumas das variantes da patologia devido à ministração de novos e inovadores tratamentos e a um reforço das ações preventivas por parte de uma franja da população, mais preocupada com a prática de atividade física e com uma alimentação mais rica em vegetais e fruta e pobre em açúcares e gorduras. Ainda assim, o prognóstico está longe de ser animador.

Segundo a diretora do Registo Oncológico Regional do Sul, Ana Miranda, em 2020 haverá mais de 600 novos casos por ano de melanoma, mais 350 do que os que se registavam no princípio deste século, que rondavam 250 casos anuais. Ainda assim, um estudo desenvolvido nos EUA estima que os doentes sobreviventes de cancro vão aumentar 42% até 2020. Nessa data, mais de 11 milhões de americanos sobreviventes de cancro terá 65 anos ou mais. «Esperamos um aumento dramático no número de seniores»,  afirma mesmo Júlia Rowland, representante do National Cancer Institute.

Contactos úteis

Se sofre de cancro, acompanha um familiar vítima da doença ou se pretende apenas obter mais informações, existem instituições que o podem ajudar:

- Linha de Apoio à Pessoa com Cancro
808 255 255

Ame e Viva a Vida
Avenida Ceuta Norte - Quinta do Loureiro - Lote 6 - Loja 3, Lisboa
Telefones: 309 801 463 / 969 628 996
Internet: www.ameevivaavida.pt

Associação Laço
Telefone: 214 605 160
Internet: http://associacaolaco.blogspot.com/

Associação Portuguesa de Apoio à Mulher com Cancro da Mama
Avenida Marechal Craveiro Lopes, 1, Lisboa
Telefone: 217 585 648
E-mail: info@apamcm.org
Internet: www.apamcm.org

Associação Portuguesa Contra a Leucemia
Rua Prof. Carlos Alberto da Mota Pinto, 17 – 9º, Edifício Amoreiras Square, Lisboa
Telefone: 213 422 204 / 913 461 547
Internet: www.apcl.pt

Veja na página seguinte: Outras instituições que se podem revelar úteis

Comentários