Investigadores portugueses estão a desenvolver uma pulseira que monitoriza a temperatura dos bebés

Conheça melhor este avanço médico através da explicação de um dos seus criadores

Os investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra estão a desenvolver uma pulseira que monotoriza a temperatura corporal de bebés e crianças até aos três anos.

Filipe Antunes é um dos investigadores do Departamento de Químicada referida faculdade que está envolvido neste projeto.

Em declarações à revista Prevenir, explicou como este funciona, para que serve, quais os benefícios e quando estará disponível. «Desenvolvemos um sensor que altera a sua cor à temperatura que pretendemos. Está a ser incorporado numa pulseira e reage a 38º C, isto porque, segundo alguns pediatras, a temperatura de um bebé pode atingir 37,8º C sem ter febre. A tecnologia permite que a mudança seja ajustada para 37º C», esclarece o investigador.

Sobre a sua finalidade, Filipe Antunes sublinha que esta «funciona como sistema de alerta. Apresenta um sinal visual para alertar os pais ou educadores, que poderão clarificar se sse trata, ou não, de um episódio de febre». São várias as vantagens desta pulseira-termómetro. «Não requer a intervenção de um adulto nem qualquer fonte de alimentação, tem um tempo de vida longo e uma boa precisão. Os materiais são biocompatíveis, garantindo a segurança», explica o investigador. «Um empresa portuguesa vai avançar com o projeto. Se tudo correr bem, daqui a dois anos, ou seja, em 2015, estará no mercado», conclui Filipe Antunes.



artigo do parceiro:

Comentários