Ingerir demasiada carne depois dos 40 anos aumenta risco de cancro

O alerta de um estudo norte-americano

Uma alimentação rica em proteína e gordura animal durante o período da meia-idade (entre os 40 e os 65 anos) aumenta quatro vezes o risco de se vir a morrer de cancro, em relação ao de quem adota uma dieta pobre em proteínas.

O risco é comparável ao associado ao tabaco e foi apurado num estudo realizado ao longo de duas décadas por uma equipa da Universidade da Califórnia do Sul, nos Estados Unidos da América.

Os investigadores envolvidos na pesquisa concluíram, ainda, que o consumo excessivo de proteína animal (incluindo carne, leite e queijo) na meia-idade está também associado a uma probabilidade 74 por cento maior de se morrer por qualquer outra doença, como a diabetes. Além disso, segundo o mesmo estudo, as proteínas vegetais, como o feijão e o grão, não parecem acarretar o mesmo risco.

Porém, a partir dos 65 anos, uma dieta rica em proteína tem um efeito protetor, uma vez que ajuda a controlar a hormona do crescimento, cuja produção diminui drasticamente nesta idade, impedindo a perda muscular e a fragilidade tornando-a menos suscetível à doença.


artigo do parceiro:

Comentários