Infecções urinárias

Aprenda a preveni-las e a identificar as suas causas

Calcula-se que 25 a 30% das mulheres entre os 20 e os 40 anos desenvolvam infecções urinárias em alguma altura da sua vida. A parte pior é que muitas delas podem desenvolver episódios recidivantes.

As infecções urinárias resultam da invasão e multiplicação de bactérias na urina e respectiva inflamação da bexiga e/ou nos rins. Podem ser complicadas ou não-complicadas.

Nas complicadas, existem factores de agravamento (imunodepressão, diabetes, abuso de analgésicos e múltiplas doenças urológicas) que colocam em risco os rins e a sua função ou a própria vida. Também as infecções provocadas por micróbios que provocam cálculos renais são consideradas complicadas.

As não-complicadas podem causar sintomas desagradáveis e eventualmente severos, mas não são graves em termos de risco renal ou de vida.

Podem também ser agudas, crónicas ou recorrentes, neste caso com duas hipóteses: por recaída (o mesmo micróbio que provocou a primeira infecção ficou apenas adormecido com a terapêutica instituída e volta a acordar pouco tempo depois) ou por reinfecção (um micróbio independente da primeira infecção, já curada, invade o aparelho urinário pouco tempo depois).

Quais são as causas?

A infecção urinária é causada por bactérias que se encontram ao nível do recto, ânus, vulva e vagina e que penetram ascendentemente (através da uretra) no aparelho urinário. Escherichia coli, proteus mirabilis, pseudomonas, enterococus e klebsiella são as bactérias mais frequentes no desenvolvimento deste tipo de infecção.

Apesar da uretra e da bexiga estarem munidas de mecanismos de defesa, existem hábitos e doenças que os prejudicam ou estimulam a agressividade das bactérias.

Entre eles destacam-se a fraca ingestão de líquidos, o esvaziamento vesical incompleto e pouco frequente, doenças que provoquem obstrução urinária e certos tratamentos agressivos com invasão do aparelho urinário ou alteração da flora microbiana periuretral.

Comentários